sexta-feira, 15 de abril de 2011

Gênesis - Bereshit 1:1-8 no judaismo

1) No princípio criou D'us os céus e a terra.
2) E a terra era vã e vazia, e (havia) escuridão sobre a face do abismo, e o espírito de D'us se movia sobre a face das águas.
3) E disse D'us: "Seja Luz!" E foi luz.
4) E viu D'us que (era) boa; e separou D'us entre a luz e a escuridão.
5) E chamou D'us à luz, dia, e à escuridão chamou noite; e foi tarde e foi manhã, dia um. (*---------------)
6) E disse D'us: "Haja expansão no meio das águas e que separe entre águas e águas!";
7) E fez D'us a expansão;e separou entre as águas debaixo da expansão e entre as águas de cima da expansão. E foi assim.
8)E chamou D'us à expansão, céus...


No princípio criou...
Este versículo requer interpretação, como o interpretaram nossos mestres:[O mundo foi criado] para a Torá, que é chamada: "Princípio do Seu Caminho" (Provérbios 8:22), e para Israel, que foi chamado "Princípio da Sua Colheita" (Jeremias 2:3); e se quisermos interpretá-lo segundo seu significado simples, assim ficaria: no princípio da criação dos céus e da terra - que estava vazia etc - disse D'us: "Haja luz". A Escritura não veio para [nos] ensinar a ordem da criação, para dizer que estes (ou aqueles) se anteciparam, pois se quisesse ensinar assim, estaria escrito: "primeiro criou os céus, etc". (*Rashi).

...criou...
Em hebraico, "bará", significa "trazer do nada à existência". Este verbo não existe nas línguas ocidentais. Sendo assim, "bará", aqui é traduzido como "criar", na tentativa de passar do original hebraico a idéia de "trazer do nada à existência".

Elohim (D'us) tem, em hebraico, a forma plural, para indicar que D'us compreende e unifica todas as forças infinitas e eternas. E para que não se pense que são muitos deuses - trindade por exemplo -  o verbo "bará" foi empregado no singular, imediatamente após Elohim. No original hebraico o verbo se encontra no singular, e Elohim é um plural majestático (Abraham Ibn Ezra), que não significa dois ou três como na palavra "bealim" (dono), que sempre vem no plural, e indica pessoa singular. O verbo "bará" aqui  informa, estabelece e testifica - para não deixar dúvidas -  a unicidade de D'us por estar em forma singular.

...criou D'us...
Não foi dito: "Criou o Senhor Eterno [Misericordioso]", porque inicialmente pretendia criar o mundo com o atributo da justiça, mas o mundo não poderia existir [se fosse baseado apenas na justiça], antecipou (então) o atributo da misericórdia e uniu-o ao atributo da justiça, por isso está escrito "No dia em que o Eterno Senhor [de misericórdia], D'us [de justiça], fez a terra e o céu". (Gênesis 2:4) (Rashi)

...os céus e a terra...
Fica explícito no primeiro versículo de Gênesis a intenção de dar ao homem a consciência de que tudo se deve à Criação Divina. A Torá mostra o Universo como expressão (manifestação, etc) da vontade Divina. Na Cabalá, "tsimtsum"; a Criação como princípio de tudo, e não a Criação em si, mas a Providência - isto é, D'us - como Criador, Condutor do Universo etc.

...vã e vazia...
Uma expressão de assombro e admiração, que um homem diz quando fica surpreso e confuso pelo vazio dele [o mundo] (Rashi)

Vã, a interpretação aramaica de Onkelos interpreta assim.

Rashi, explica que a palavra hebraica tôhu significa assombro e consternação pelo vácuo.

...sobre a face do abismo...
Sobre a face das águas que cobriam a terra. (Rashi)

...e o espírito...
Mais propriamente: ventos da parte de D'us pairavam... Sendo D'us incorpóreo, infinito e ilimitado (não divisível em deus pai e deus filho deus filho espírito santo), não dispõe de espírito como os seres por ele criado. Em alguns casos, o hebraico utiliza o termo no singular se referindo a plural. "Espírito" aqui não tem o sentido que outras religiões  insistem em dar a palavra.

...e o espírito de D'us...
Outros traduzem "O vento de D'us". Alguns ao traduzirem "vento" de D'us  no lugar de o "espírito"  deixa evidente que a idéia no original hebraico é outra  e não a de sustentar a tese "espírito santo" tão difundida por missionários.

...e o espírito de D'us se movia...
A maioria dos tradutores considera complicado traduzir estas palavras pois elas têm um sentido difícil e muito complexo para que nosso limitado entendimento possa captar e compreender com exatidão.

O trono da glória estava suspenso no ar e flutuava sobre a face das águas com o alento divino, Abençoado Seja Ele, e sob Sua palavra, como um [pássaro] que sobrevoa seu ninho. Rashi diz que o trono Divino se movia por ordem de D'us e por meio de alento (ruach) exalado por Sua "boca", sobre a face das águas, aparentemente para dar o alento da vida à matéria inanimada (cf Gênesis 2:7 e Isaías 42:5).

A tradução aramaica (*Ionatan) diz "e o espírito de misericórdia procedente de D'us soprava sobre a face das águas"

...sobre a face das águas....
Rashi propõe como explicado anteriormente (No princípio criou...) que o primeiro versículo do Gênesis seja traduzido assim: "No princípio, 'ao criar' D'us os céus e a terra, a terra etc.", pois a Escritura não quer nos mostrar a ordem em que as "coisas" foram criadas. A constatação deste fato é que o fim do segundo versículo sugere que as águas já existiam antes dos céus e da terra.

E disse D'us: "Seja Luz!"...
Quer dizer que D'us quis.

E viu D'us que (era) boa; e separou D'us entre a luz e a escuridão...
Neste versículo precisamos das palavras da *Agadá: Ele viu que não era merecido que o perverso a utilizasse, e a separou-a para os justos, para o futuro vindouro,. e de acordo com sua simplicidade assim explica: Ele viu que era boa, e não era agradável para a luz e apara escuridão que fossem misturadas, então se estabeleceu para luz seu limite no dia e para escuridão seu limite na noite (Rashi)

...dia um...
De acordo com a seqüência do texto neste trecho da Escritura deveria estar escrito "o primeiro dia", como está escrito nos dias seguintes, segundo, terceiro, quarto dia etc. Então porque escreveu "dia um" no lugar de primeiro? Por que o Eterno era Único em Seu mundo, já que não foram criados os anjos até o segundo dia. Esta explicação encontramos em *Bereshit Rabá.

Alguns rabinos tratavam de conciliar a data da era hebraica com as últimas descobertas científicas, que revelam, baseadas em instrumentos recentes - relógio atômico, etc - que a Terra tem aproximadamente uns 4 bilhões de anos. Então, para "conciliar" a Escritura Sagrada com o desejo científico, podemos até admitir que um dia de Criação não equivale a um dia ordinário, e sim, a um longo período de nosso tempo, conforme descreve o rei David no Tehilim 90: "Pois mil anos em Teus "olhos" são como o dia de ontem, que passou, e como uma vigília noturna"

Diversos teólogos (de outras religiões), buscando melhor aceitação para a Torá (que  insistem em chamar de Velho Testamento) entre os descrentes, ateístas etc que tentam explicar o surgir de vida na Terra, dizem ser estes dias simbólicos. O que todos (eles) esquecem é que para D'us não existe diferença entre um segundo e milhões de anos. Os descrentes continuarão assim (descrentes) por sua vontade e arbítrio.

E disse D'us: "Haja expansão";...

Os textos não originários diretamente do hebraico em geral traduzem como "Haja firmamento". A Septuangita, "Seja firmamento".

"Haja firmamento", estava se fortalecendo o "firmamento" pois, mesmo que os céus tenham sido criados no dia um, ainda estavam "úmidos", em estado fluido. Solidificaram-se no segundo dia pelo "grito" Divino, quando disse "Haja firmamento". E isto é o que está escrito em Jó - 26:11: "Os pilares dos céus estavam frágeis" todo o primeiro dia, e no segundo: "surpreenderam-se firmando-se com seu grito", fica aturdido, parado pelo grito daquele que o intimida. (Rashi)

...e entre as águas...
Há um espaço entre as águas superiores e o firmamento, bem como entre o firmamento e as que estão sobre a terra. Disto conclui-se que elas estão suspensas pela ordem de D'us. (Rashi)

*Nachmânides ensina que a separação foi entre os aspectos totalmente espirituais da Criação e o mundo material que circunda o homem, inclusive os mais distantes pontos do sistema solar. Diz ainda que o "firmamento" e as águas de cima e de baixo estão entre os mistérios da criação que ainda não podem ser conhecidos por nós, homens, ou cuja explicação deve ser limitada àqueles qualificados a conhecê-la.

Outros exegetas comentam que o termo "firmamento" se refere à atmosfera da Terra.

E fez D'us a expansão;...
Ele o corrigiu e fixou na sua posição que é o equivalente a "fazê-lo", como em :"e ele fizera as suas unhas" - Deuteronômio 21:12.

...e separou...
Ou "Ele dividiu", Septuaginta.

...de cima da expansão...
Sobre o firmamento não significa senão "acima do firmamento", porque as águas estavam suspensas no ar. E por que não foi dito "que era bom" no segundo dia? Porque não havia concluído o "trabalho" de criação da água até o terceiro dia. Eis que tinha começado no segundo; e uma coisa que não foi terminada, não está inteira nem é boa. E no terceiro dia, quando foi terminado o "trabalho" das águas, e começado e terminado outro "trabalho", repetiu "que era bom" duas vezes. Uma pela conclusão do trabalho do segundo dia e a outra pela conclusão do trabalho do terceiro dia. (Rashi)

,céus...
céu, "rakia", em hebraico, literalmente "expansão". Comumente traduzido como "firmamento". (*Saadia Gaon)

E chamou D'us à expansão, céus...
Céus significa: "Carrega água", "Ali existe água"; "fogo e água" que  misturados um ao outro formaram os Céus.

*Notas 
Abraham Ibn Ezra, exegeta, 1089-1164.
Agadá, um midrash sobre o Gênesis, compilado de fontes antigas em torno de 950 da era atual.
Bereshit Rabá, a mais importante parte da coleção conhecida como Midrash Rabá, que trata do livro de Gênesis.
Nachmânides, Rabi Moshê ben Nachman, 1194-1270.
Ionatan, Yonatan Ben Uziel, tradução para o aramaico da Torá, conhecida por Targum Yonatan.
Onkelos, traduziu com autorização a Torá para o aramaico, conhecida como Targum. Em muitos lugares o Targum torna o texto mais homilético que literário.
Rashi, Rabbi Slomo ben Itzhak. 1040-1105.
Saadia Gaon, Saadia ben Yossef Gaon, 882-942.

6 comentários:

  1. Just want to sаy уour article is аs amazing.

    The clеarnеss in your post is јust spectacular anԁ
    i сan assume you are an expert on this subject.
    Fine with yоur pеrmissіon let me to grab yоur fеed to kеep updated with
    forthcoming poѕt. Thanks a million and please keep up the enjoyable
    wοrk.

    Heгe is my website ... motorcycle rental minneapolis

    ResponderExcluir
  2. E o Alef Tav que estão em [Bereshit 1:1, depois da palavra Elohim] no original em Hebraico, mas não estão nas Bíblias judaicas e cristãs?? Para isto ninguém liga né!! É claro, Yeshua esta dizendo la em Revelação 22, que foi ele quem criou tudo, em Bereshit 1:1! Agora os tira o escribas e rabinos tiram o Alef Tav quando transliteram o texto, para esconder Yeshua que esta dizendo que ele é o Elohim filho criador de tudo, que esta dentro do Tanach. E o cristianismo também tira o Alef Tav quando traduz o texto, para não dar explicações sobre os mandamentos que eles não cumprem, porque o Alef Tav no original Hebraico,se fosse escrito dentro da Bíblia cristã, obrigaria a cristandade a cumprir os mandamentos da Torah, por se tratar dos mandamentos de Yeshua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante a observação. Mas como ficaria o texto?

      Excluir
  3. UM AGNÓSTICO USANDO A RAIZ HEBRAICO (JUDAICA) DA NISSO !!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É tanta coisa que eu vejo nos comentários que desanima. primeiro que este artigo não é meu, eu compartilhei no blog por ser interessante. Segundo que o estudo das escrituras me levou ao Agnosticismo e os comentários ignorantes que eu recebo todo dia, me fazem considerar o Ateísmo!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...