sábado, 3 de março de 2012

A prova de que o Êxodo existiu e EL já era falado pelos hebreus


Todos conhecemos a história de Moisés, o homem levantado por Deus para libertar o Seu povo da escravidão imposta pelos egípcios. Conhecemos mais ainda o que Moisés, segundo autoridade dada por Deus, fez no Egito: As 10 pragas, a abertura do Mar Vermelho, os dez mandamentos, etc.

A arqueologia tem sido a maior amiga dos historiadores e estudiosos bíblicos na procura de locais e objetos que possam evidenciar o trajeto dos hebreus. Já são muitas as evidências encontradas no Egito e na Arábia Saudita.

No último século arqueólogos redescobriram evidências sobre a escravidão dos hebreus, as pragas e a fuga do Egito. A pintura abaixo é uma entre outras encontradas nas paredes da tumba de um comandante chamado Khnumhotep II (século XIX A.C.) onde estão registradas a entrada de um grupo de cerca de 37 palestinos (de barbas) trazendo suas mulheres, crianças, arcos, flechas, lanças, harpas, jumentos e cabras caracterizando que não se tratava de uma invasão, por causa da submissão aos egípcios (mulatos).

A figura abaixo, da publicação The Ancient Near East in Pictures (Pritchard) mostra inscrições no Egito sobre o trabalho escravo (século XV A.C.) na fabricação de tijolos e na construção (Êxodo 1.11-14). Alguns textos egípcios mencionam cotas de tijolo e uma falta de palha, como em Êxodo 5.6-19.



Há sinais das pragas nas ruínas da antiga cidade de Avaris e no chamado "papiro de Ipuwer" encontrado no Egito no início do último século, levado para o Museu Arqueológico Nacional em Leiden na Holanda sendo decifrado por A.H. Gardiner em 1909. O papiro completo está no Livro das Advertências de um egípcio chamado Ipuwer. Este descreve motins violentos no Egito, fome, seca, fuga de escravos com as riquezas dos egípcios e morte ao longo da sua terra. Pela descrição ele foi testemunha de pragas como as do Êxodo.

Outra evidência da passagem dos hebreus pelo Egito foi a descoberta do Vale das Inscrições (Wadi Mukattab) na Península do Sinai.



Uma das inscrições feitas por hebreus descreve com detalhes a fuga pelo Mar Vermelho. As inscrições foram feitas em hebraico antigo em pedras e arqueólogos e pesquisadores ainda não sabem dizer quem são seus autores. Há também hieróglifos egípcios a respeito das minas de turquesa da região de Serabit El Khadim, inscrições de mineiros Canaãnitas e Nabateanos, em grego, latim e árabe ao longo do vale.

O explorador Charles Forster publicou estes achados em seu livro "Sinai Photographed" em 1862. Ele concluiu que estas inscrições eram uma combinação de alfabetos hebreus e egípcios que descrevem o Êxodo. A foto abaixo foi tirada em 1857 por Francis Frith.



A mais recente descoberta sobre a passagem dos hebreus no Egito foi apresentada em 2003 quando 2 arqueólogos israelitas concluíram estudos dos anos 30 na parte ocidental do Nilo onde a Universidade do Instituto Oriental de Chicago estava fazendo escavações em Medinet Habu, área do sul da necrópole de Tebas. Arqueólogos descobriram evidências de algumas cabanas semelhantes às casas de 4 quartos predominantes na Palestina durante toda a Idade do Ferro (1200-586 A.C.).

Historiadores antigos e famosos também relataram a passagem dos hebreus no Egito:

Flavio Josefo, historiador judeu do 1° século D.C., em sua obra Josefo Contra Apion - I, 26, 27, 32 menciona dois sacerdotes egípcios: Maneto e Queremon que em suas histórias sobre o Egito nomearam José e Moisés como líderes dos hebreus. Também confirmaram que migraram para a "Síria sulista", nome egípcio da Palestina.

Diodoro Siculo, historiador grego da Sicília (aproximadamente 80 a 15A.C.) escreveu que "antigamente ocorreu uma grande pestilência no Egito, e muitos designaram a causa disto a Deus que estava ofendido com eles porque havia muitos estranhos na terra, por quem foram empregados rito estrangeiros e cerimônias de adoração ao seu Deus. Os egípcios concluíram então, que a menos que todos os estranhos se retirassem do país, nunca se livrariam das misérias".

Herodoto, historiador grego intitulado o Pai da História, escreveu o livro "Polymnia". Na seção c.89 escreve: "Essas pessoas (hebreus), por conta própria, habitaram as costas do Mar Vermelho, mas migraram para as partes marítimas da Síria, tudo que é distrito, até onde o Egito, é denominado Palestina". São localizadas as costas do Mar Vermelho, em parte, hoje o Egito, enquanto são localizadas as partes marítimas da Síria antiga, em parte, o atual Estado de Israel.

O documentário êxodo decifrado de James Camerom, explora diversas provas que confirmariam a ocorrência do evento bíblico conhecido por Êxodo, ou seja, a saída dos judeus do Egito, liderados por Moisés.
Jacobovici sugere que o evento do Êxodo teria ocorrido por volta de 1.500 A.C, durante o reinado do faraó Amósis I ou Amés da 18ª dinastia, época em que ocorreu a erupção vulcânica do Santorini, a maior da História. No documentário, as dez pragas do Egito citadas na Bíblia são explicadas como resultado da citada erupção e seus efeitos na região do Delta do Nilo. As provas arqueológicas reunidas por Jacobovici foram encontradas no Egito, algumas em Micenas na Grécia, onde existe um ornamento de ouro que poderia representar um desenho da Arca da Aliança.

As provas no Egito
-A expulsão dos Hicsos foi registrada pelos egípcios. Jacobovici sugere que os Hicsos e os Hebreus eram o mesmo povo, uma tese defendida pelas descobertas da capital desse povo, conhecida por Avaris (30°47'14.71"N, 31°49'16.92"E) que se pronuncia "Yakov/Yakub" (de Yaqub-her), similar ao nome hebreu do patriarca bíblico Jacó (Ya'aqov).

-As estelas de Amoses, fragmentos monolíticos com inscrições e que foram descobertos na cidade de Karnak por Henri Chevalier em 1947. Neste monolito é descrito uma grande tempestade ou escuridão que assolou o Egito, o que seria raro naquela região desértica.
Amoses I. Jacobovici sugere que o significado hebreu para o nome do faraó seria "Irmão de Moisés". O documentário mostra a mumia do filho de Amoses, Sapair, que teria morrido com doze anos de idade. No relato bíblico, o faraó perdeu o seu filho primogênito por causa da décima praga (a praga dos primogênitos).

-A mina de turquesas de Serabit el-Khadim , um campo de mineração no Sinai onde foi encontrada uma inscrição em alfabeto hebreu na qual se lê "Ó EL, salve-me dessas minas" . Foi argumentado que o uso do "El" era como os hebreus chamavam Deus antes da revelação do Sinai, o que comprovaria o fato dos hebreus terem sido escravizados no Egito. A inscrição não foi datada, todavia.

-O historiador da Antiga Judéia Flavius Josephus sugeriu em seu trabalho Contra Apion que os Hicsos foram os antigos hebreus. Muitas das teorias exploradas por Jacobovici foram publicadas anteriormente no livro de 1998 Act of God, escrito pelo historiador britânico Graham Phillips.


As provas em Micenas
-Tumbas. Jacobovici sugere que os desenhos em três das pedras que ornamentavam tumbas em Micenas ("O círculo de tumbas de Micenas") relatam a travessia do Mar Vermelho. Segundo Jacobovici, as pedras contam como um homem em cima de uma carruagem ataca outro a pé com um cajado, e como esse é alcançado por grandes ondas. Para Jacobovici, seria a história do encontro de Amoses com Moisés, no episódio da divisão das águas do Mar Vermelho. Mas ele admite que os especialistas interpretam a cena como uma corrida de carruagens ou mesmo uma cena de guerra comum.

-Um ornamento de ouro escavado de uma das tumbas de Micenas mostra o que Jacobovici acredita ser o desenho da Arca da Aliança, colocada em um altar. Entretanto, quando ele compara a foto do ornamento com a história bíblica sobre a construção da Arca, há muitas divergências. Jacobovici sugere que os membros da Tribo de Dã emigraram para Micenas após o Êxodo. Ele alega que Homero chamou o povo enterrado em Miscenas de "Danaoi" (Aqueus). O mito grego, entretanto, conta que Danaoi eram os descendentes do povo de Argos, filhos de Dânae.

Segundo o documentário, muitos historiadores consideram o Êxodo como um "conto de fadas" e outros rejeitam as explicações científicas para milagres. Jacobovici alega que Deus, segundo a descrição cristã-judaíca, manipula a Natureza. O documentário finaliza com a questão dos eventos naturais ou da "mão de Deus", que levaram ao Êxodo.

Seja como for, o fato é que existem unumeras evidências arqueológicas de que os Hebreus estiveram no Egito e que DEUS os tirou de lá.

E que os hebreus mesmo nessa época antiga já conheciam a seu Deus pelo titulo EL ou Elohim, Provando o que dizem os teologos sobre a tradição Eloinista, que depois virou a tradição Javista após a revelação do nome sagrado no monte para Moisés.

Algumas fontes para pesquisa: forte fundamento
                                              wikipédia
Vídeo: Prova dos hebreus no egito tecle aqui

Êxodo decodificado



8 comentários:

  1. devemos ter cuidado nao colocar coisas incertas p as pessoas lerem. o que ta escrito aqui tenho um pouco de duvida.mas parabens pela sua pesquisas. agora quero dizer uma coisa cuidado p nao colocar informaçao sem ser conprovada pela historia.

    ResponderExcluir
  2. Isso é Muito complicado pqp é muita coisa ainda n tem provas certas se existe ou não

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Acreditar em tudo o que esta escrito em um livro baseado em escritas de 1400 ac e 400 anos dc, na qual os antigos reis manipulava o povo atraves do medo e da mentira, aonde a igreja, matou e manipulou, a propria igreja admite que a inspiração divina veio por intermedio da mão humana,acreditar que 3.600.000 ( tres milhoes e seissentas mil pessoas) sairam do egito e tinha agua comida roupas durante 40, repito, 40 anos, andaram perdidos pelo deserto sendo que naquela epoca os mercadores andavam as pencas nos 500 km que em linha reta era a distancia que moises tinha que percorrer, se perguntasse para um desses mercadores eles apontavam a direção, com o dedo Como ele falava pra essa multidão toda, Até esse povo sair todo da vila numa média de 10.000 por dia com os pertences e criações demoraria mais ou menos 360 dias, para sair todos, Até ai o Faraó ja tinha MUDADO DE IDÉIA e se fosse para perseguir ja teria encontrado os ultimos e matado todos eles, É uma historia que não fecha em numeros , datas, Se alguem me perguntar porque 3600000, leiam a biblia que diz\ 600.000 mil homems prontos para a guerra, mais suas familia que eram compostas por mulher filhos, avós maternos e paternos, mais outras pessoas egipicias e outras nações. E o unico povo de deus era os judeus, então os Orientais, os norticos, e outros povos não eram povo de deus. O mais incrivel, é que a historia de moises, de jesus cristo e outras que estão na biblia, existem outras iguais antes e depois desses fatos em outras religiões, em outras partes do mundo, todas documentadas, existem as mesma historias na religiao judaica, Basta voces lerem, em sites comfiaveis, de instituições confiaveis, Os proprios judeus não acreditam na história de jesus ( chabad.org.br ) ( webjudaica.com.br). Sites do museu do cairo, . Porque o vaticano não abre todo os documentos que estão em poder deles, o que eles escondem, A religião e a politica foram manipuladas grandemente pelos romanos, e o Vaticano esta aonde ( ROMA ), a igreja protestante ( dissidente da catolica ) utiliza a biblia, mas muda o método dos cultos, mas o medo e a manipulação são quase os mesmos, baseados todos no Dinheiro, e Perdão em troca de algo, Resumindo tem gente que acredita em Papai Noel, Coelho da pascoa, è facil colocar em deus as dsesculpas, Se morre, é desigbio de deus, se nasse com saude é deus, se nasce com defeito, é Deus que escreveu assim, se o avião cai com 300, foi deus que quis, se sobrevive um dentro desse avião, foi deus, e deus não gostava de 299, só gostava do que sobreviveu,É muito comodo pensar assim, É comodo para as Igrejas que assim levam os ( Fiéis ) no cabresto..........Parece um pouco com POLITICA, Que parece com RELIGIÂO, que parece com POLITICA.......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Posso fazer uma pergunta ?

      o que faz pensar que a ciência não faz o mesmo no dias de hoje?
      apenas lhe faz acreditar no que bem entender?

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...