sexta-feira, 18 de maio de 2012

Paulo versus Tiago. Salvação pela graça ou pelas obras?


A teologia cristã sempre defendeu que a salvação é única e exclusivamente pela fé em Jesus. Não importa suas ações ou obras, pois elas não podem garantir a salvação, mas única e exclusivamente a fé. Como ficaria neste caso, por exemplo, um indígena bom, que não é cristão, mas é um bom homem, respeita a natureza, sua esposa, sua família e só praticou o bem, mas não se converteu ao cristianismo? Segundo essa lógica, este homem já esta automaticamente condenado. Em contra partida, um homem que é por exemplo, um canalha, ladrão, mentiroso mas cristão pode ser salvo, pois é a fé que salva e não as obras. 

Mas será que foi sempre assim? Será que os primeiros cristãos pensavam desta maneira? Será que foi essa a mensagem de Jesus?

Vejamos a seguir, um debate entre um irmão que é a favor da lei e outro que considera que a lei foi abolida. Vamos chamar o que é a favor da lei de legalista só para diferenciar:

Legalista_ Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo?

Refutação_ Nós Concluímos, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei.

Legalista_Ó homem incensato, queres tu saber que a fé sem as obras é morta? Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.

Refutação_Se nosso pai Abraão, foi justificado pelas obras, tem de que se gloriar, mas não diante de Deus.

Legalista_Porventura o nosso pai Abraão não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaque? Bem vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada.

Refutação_Aquele que não pratica qualquer obra, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça.

Legalista_Vedes então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé.

Refutação_Pois, que diz a Escritura? Creu Abraão em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça.

Legalista_A Escritura diz: E creu Abraão em Deus, e foi-lhe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo de Deus.

Seria um dialogo interessante entre dois irmãos com pontos de vista diferentes, mas nesse caso, este debate esta na bíblia. Não como debate e não de forma explicita, mas em livros diferentes. Trata-se das epistolas de Paulo aos romanos (Rm 4,1-5) e a epístola de Tiago (Tg 2,14-26). É interessante notar que em ambas as epístolas, além de utilizarem as mesmas palavras, os mesmos termos gregos inclusive, ambos fazem menção a Abraão e citam o mesmo versículo de Gênesis 15,6 mas sob perspectivas diferentes. Parece ser uma carta em resposta a outra. Paulo entende que Abraão foi justificado perante Deus pela sua fé apenas enquanto que Tiago entende que a fé de Abraão foi acompanhada de uma obra, o sacrificio de seu filho, e isso foi o que o justificou e não apenas a crença em Deus.

Qual dos dois esta certo? Será que se Abraão não tivesse oferecido o filho em holocausto como Deus ordenara e apenas acreditado ele teria sido justificado? Ou será que Paulo esta dizendo que mesmo se ele tivesse feito tudo, mas não crido, teria sido em vão? Ainda que seja bem dificil imaginar que Abraão tivesse feito tudo aquilo sem acreditar!




O que acontece neste exemplo, comparando duas epístolas que se contrapõem, é que notamos que havia um certo diferenciamento na maneira de entender de Paulo e dos demias apóstolos. Alguns seguidores do messias do primeiro século, por exemplo, não consideravam Paulo um apóstolo e rejeitavam suas epístolas, devido a essas divergências. Vale a pena ressaltar também que Paulo era o apóstolo dos gentios, portanto sua mensagem era menos legalista do que a dos apóstolos que pregavam à Judeus. As suas pregações cheias de fé, mas desobrigando os gentios de seguirem a Torá não eram bem vistas por algumas comunidades judaicas do primeiro século. Na verdade, vemos no próprio novo testamento estas acusações contra Paulo, quando este esteve na casa de Tiago em Jerusalém:

"E, ouvindo-o eles, glorificaram ao Senhor, e disseram-lhe: Bem vês, irmão, quantos milhares de judeus há que crêem, e todos são zeladores da lei. E já acerca de ti foram informados de que ensinas todos os judeus que estão entre os gentios a apartarem-se de Moisés, dizendo que não devem circuncidar seus filhos, nem andar segundo o costume da lei" At 21,20-21

Estas acusações não partiam apenas dos fariseus ou dos sacerdotes, mas também de judeus crentes no messias que não gostavam das pregações de Paulo sobre o não cumprimento da lei. Neste mesmo trecho de Atos, vemos que o irmão, supostamente Tiago, lhe diz que deve mostrar aos judeus que é guardador da lei e que com relação aos gentios, não impuseram a lei, como aliás, até hoje, o judaísmo determina, que os gentios não são obrigados a seguirem a lei:

Esta diferença de exegese entre Paulo e Tiago, reflete esse pensamento ambíguo que já havia no primeiro século dentre os seguidores do messias. Haviam os messiânicos que seguiam a Torá e os messiânicos que não achavam mais necessário o cumprimento da lei. Alguns achavam que a salvação era pelas obras e outros, como Paulo, que era apenas pela fé.

Hoje, é muito fácil tomar partido nesta questão. Qualquer um pode abrir sua bíblia e citar diversos versículos a favor da salvação pela fé. Mas isso é porque a forma como a bíblia chegou até nós, ela foi compilada com mais epístolas de Paulo, na verdade, mais da metade do novo testamento é atribuído a Paulo. Hoje sabemos que havia uma disputa no primeiro século entre os seguidores de Paulo e os seguidores dos outros apóstolos, e que no final, os Paulinos saíram vitoriosos quando no concilio de Nicéia, diversas epístolas suas foram incluídas no cânone e muitas das dos demais apóstolos foram descartadas, porque os gentios convertidos não viam como agradável a lei de Moisés e preferiram criar as suas próprias. Fica uma pergunta no ar: Se a bíblia tivesse sido montada com mais epistolas de Tiago e menos de Paulo, será que o cristianismo seguiria essa linha teológica de salvação gratuita?

Nas palavras do messias, vemos que Jesus dizia que a forma como julgaria, não era tão gratuita assim ou apenas pela crença nele:

Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade Mt 7, 21-23

Paulo influenciou a doutrina cristã de uma maneira um tanto diferente. Desde as pregações de João batista, vemos uma exortação a pratica de obras. João, mesmo sabendo e anunciando a vinda do messias, exortava, na condição de profeta, que os fariseus produzissem boas obras e não apenas que cressem:

“Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento;” Mt 3,8

Em outras passagens como a do jovem rico, onde Jesus lhe diz que deve seguir os mandamentos e depois diz que lhe falta a caridade, exortando-o a vender seus bens e dar aos pobres e depois segui-lo, não parecem condizentes com este conceito de salvação gratuita. Vemos que o homem rico creu que Jesus era um homem enviado de Deus, mas não praticou a obra que Jesus pedira.

Talvez Paulo, por pregar aos gentios, não achasse importante uma exortação exagerada a obras, mas sim a aceitação da mensagem de Jesus e de que ele era o messias. Talvez suas palavras tenham sido tão fervorosas, que entendemos que a crença em Jesus é mais fundamental que as obras, garantindo a salvação. Contradizendo mesmo o que Jesus disse que uma arvore se conhece pelos frutos. E por isso havia essa disputa entre os seguidores do messias convertidos por Paulo e pelos demais. Paulo dizia que não aprendeu sua doutrina com homens (Gl1,12) e que os apóstolos não lhe acrescentaram nada e se auto denominava apóstolo (Rm 11,13)

Seja como for, fica a reflexão! Será que a salvação é tão gratuita assim? Será que da para conciliar a justiça divina com isso? Mais da metade do planeta não é cristã. Será que todos os budistas, hinduístas, mulçumanos, orientais, indígenas etc... já estão automaticamente condenados? Para um fundamentalista sim. Mas se for dessa maneira, porque Deus chamou a Ciro, rei da Pérsia de Ungido e nunca foi imposto a Ciro uma conversão ao judaísmo? O mesmo aconteceu com outros personagens, como Nabucodonossor por exemplo.ou Raabe.

“Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta” Tg 2,26

salvo?
 Hoje vemos igrejas multimilionárias que não praticam a menor caridade ou filantropia, mas de tudo que arrecadam só serve para enriquecer seus líderes cada vez mais. E cada vez que alguém critica tais atitudes ou os pedidos exagerados de dinheiro, as alegações são que o dinheiro é para se abrir mais igrejas e salvar mais almas. Mas quantas almas estão sendo de fato salvas? Se a salvação é só pela fé em Jesus, não há a necessidade de se fundar tanta igreja, pois os católicos e cristãos de outras religiões já crêem em Jesus. Se a salvação é pelas obras, onde estão as obras destas igrejas? Um irmão que parou de beber? Outro que parou de se drogar? E as obras altruístas como estas mencionadas na bíblia, onde estão? Porque uma transformação pessoal e individual não é uma obra, é uma graça de Deus. Jesus curou dez leprosos no caminho e apenas um se salvou. (Lc 17,16-17) mostrando que curas e libertações não significam salvação. Eu posso ser curado de uma doença grave pela fé, mas isso não me garante em nada que eu serei salvo, como vemos nesse exemplo de Lucas. Então, onde estão de fato as obras que Tiago menciona?

Entre a teologia da salvação gratuita e da salvação pelas obras, talvez devêssemos ficar com os ensinamentos do messias mesmo:

“Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me. Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber? E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos? E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te? E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes Mt 25, 34-40




Paz a todos!

24 comentários:

  1. O cara tem que ser muito idiota para acreditar que suas obras podem comprar as grandezas da eternidade e do infinito.
    A distância entre Deus e nós é infinita, por isto as obras devem ser vistas como consequência ou fruto da salvação e não a causa dela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. gostei do comentario foi bastante conclusivo a respeito do assunto supracitado.
      Eu nao faco as obras para ser salvo, mas elas sao a evidencia da minha salvacao.

      Excluir
    2. "A fé sem obras é morta". Ninguém compra nada se a própria existência é graça divina do Criador. Quem separou a doutrina e tornou antagônica em si mesma se não o homem? É pela GRAÇA do Criador que o homem tem salvação, é pela fé que o homem aceita o Criador, é pelas obras que justifica e testemunha a fé. É por conhecer o coração de cada um e conhecer o futuro, que o Senhor já escolheu antes da fundação do Mundo. Mas isso não interferiu e não interfere naquilo que o Criador nos deu como escolha. Quem CRER e fazer a VONTADE do PAI. A sã doutrina da Bíblia está nas palavras do Criador quando fala pelos profetas, e nas palavras do Messias, que é o único mestre. O resto é confusão e interpretação de homens, pura vaidade. A fé, as obras e a graça não se contradizem, nem se contrapõem. Não é a Igreja que salva, e nem os seus dogmas de homens e demônios, é o Criador que escolhe pelas obras, pela fé e pelo coração de cada um, que de graça dá a salvação a quem Ele quer. É difícil de entender isso?

      Excluir
  2. Embasado em um pouco de conhecimento, decorrente da simples leitura das escrituras, entendo que não há uma dicotomia entre o ensino de Paulo e de Tiago. A questão principal está nas ênfases. Enquanto Paulo na carta à Igreja de Éfeso, no capítulo 2, versos 8 e 9 afirma: "Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie. Porém não podemos ficar restritos aos versos 8 e 9. O verso 10 é esclarecedor: "Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou para nós as praticarmos". Logo, aquele que, pela fé, reconheceu Jesus Cristo como Senhor e Salvador, naturalmente, por ser nova criatura (II Coríntios 5.17), fará como consequência boas obras. Vivemos para glorificar a Deus, através do serviço ao mundo, o que explicitaria as ações dos salvos e confirmaria as afirmações de Jesus de que devemos ser o sal da terra e a luz do mundo. Salvos para servir. Salvos para as boas obras e não salvos pelas boas obras. Abraços. José Antonio Ferreira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qualquer teólogo sério, não esses que fazemk cursinhos de igrejas, sabe que a epístola de Tiago foi uma resposta a de Paulo aos Romanos. Por isso ela nem entrou no canom nos primeiros concilios, esta na história da igreja inclusive! Os religiosos de hoje é que tentam harmonizar textos tão contraditórios só por não aceitarem a verdade. Ignoram os estudos, a história, a critica textual etc.... E ainda metem o pau na ICAR mas seguem o canom que ela montou direitinho.

      Oséias tinha razão: "O meu povo será DESTRUIDO porque lhe faltou conhecimento!"

      Excluir
  3. Ola,gostaria de fazer aqui meus comentários, Davi foi salvo pela fé ou pelas obras, pois certamente não foi pelas obras pois, ele matava, e destruia, e ainda adulterava, e o que se fazia com quem adulterava, eram apedrejados até a morte, e quem ousou apedreja-lo.
    Quem realmente cumpriu a lei foi sómente Messias, o resto foi salvos pela fé sem obras, pois todos esperavam sua salvação no Messias que viria para salva-los.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Ó INSENSATO, acaso a fé pode salva-lo?"

      Talvez Tiago tenha se enganado. David foi tão salvo pela fé que cada vez que ele fazia algo errado Deus o castigava! Estranho não!!

      Uma vez um homem rico perguntou a Jesus o que fazer para herdar a vida Eterna, e Jesus respondeu: Conhece os mandamentos! Talvez ele precisasse aprender um pouco com os pentencostais!!!

      Excluir
  4. Que coisa, bom texto e bons comentários. Mais essa disputa não agrega conteúdo de forma que se não conhecemos a teologia de forma aprofundada e muitas vezes se pensa que se conhece mesmo não conhecendo... Assim fica impossível disputar a bíblia com a bíblia... Talvez e somente talvez esteja se discutindo a letra e a “montagem” do livro, mais não se tem direcionado para o Deus que é vivo. Quem crer e tem Fé que ORE, e quem exercer obras que ORE entregando essas obras a DEUS.

    Adriano Silva

    ResponderExcluir
  5. A salvação é dada por DEUS segundo os seus critérios e ponto final...
    Pois se o contrário disso fosse real,o que dizer do ladrão crucificado com JESUS O CRISTO,quais foram as obras que ele praticou???
    Se a fé sem obras é morta JESUS mentiu para ele quando disse " ...ainda hoje ESTARÁS no paraíso..."
    Quais dos discípulos de JESUS poderia determinar qual seriam os critérios da vontade soberana de DEUS para salvar quem quer que seja???
    Jesus também disse que "...é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus."
    Então JÓ,ABRAÃO,ISAAC,JACÓ,DAVI,SALOMÃO e vários outros estão no INFERNO???
    A VÁ;TENHAM SANTA PACIÊNCIA...
    Entendam abençoados;que propósitos e vontade soberana do CRIADOR são INQUESTIONÁVEIS E INCONTESTÁVEIS...
    Alguém aí já ouviu falar de GALARDÃO???
    Já se perguntaram pra que isso serve???
    Deixe-me tentar explicar...
    Uma pessoa que passou a vida inteira afastada de DEUS e estando em seu leito de morte,se arrepende verdadeiramente e aceita a JESUS,segundo o que nos é ensinado,essa pessoa será salva.
    Uma pessoa que passou a sua vida inteira contribuindo para a obra de DEUS,evangelizando,visitando doentes ,viúvas e órfãos,sendo piedosa,caridosa,amorosa, paciente ;segundo o que nos é ensinado ,essa pessoa será salva.
    Então qual será a diferença...????
    SIMPLES...
    o seu GALARDÃO...

    JUNIOR O BEREANO

    ResponderExcluir
  6. Se Matias entrou no lugar de Judas, e foi preenchida a vaga de apóstolo, conforme o relato de Atos 1;v21-26. Isso conclui que: O apostolo Paulo nao fazia parte dos 12 apóstolos,isso é bem claro.Por outra parte veja esse trecho que Yeshua diz : Mateus 19;v28 Ao que lhe disse Yeshua: Em verdade vos digo a vós que me seguistes, que na regeneração, quando o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, sentar-vos-eis também vós sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel. Paulo não estava ai com Yeshua , mas Tiago sim. Isso significa que Paulo vai ser julgado também, e logo por quem TIAGO. E Tiago vai gostar muito kkk. VAI á pergunta : Tiago vai julgar com ( FÉ ) ou ( LEI ) ??????? Só tem 12 tronos Paulo tá fora de julgar alguém. Não se julga por fê, e sim por Mitzvot !!

    ResponderExcluir
  7. Somos salvos pela fe so que fe eh acao abrao teve fe e agiu sai da sua parentela quem tem fe age sera que eh dificil entender nao adianta vc cumprir toda a lei pq foi obrigado. Imagina alguem que so cumpri a lei pq se nao cumprir ele vai ser apedrejado mas nao tem amor nao tem fe . hoje eu pago impostos pq sou obrigado mas nao tenho fe no governo nao acredito que minha contribuicao va beneficiar os pobres tai um exemplo de obras sem fe quer outro eu acredito que as vitimas da tragedia em mariana precisam da minha ajuda e que Deus quer que eu ajude eu falo pra todo mundo que precisamos ajudar mais eu mesmo nao ajudo eh um exemplo de fe sem obras na verdade fe sem obras eh uma pseudo fe nao existe isso fe eh acao da pra conciliar muito bem thiago pregava a caridade e paulo tambem a unica diferenca era que paulo prega para os gentios

    ResponderExcluir
  8. Somos salvos pela fe so que fe eh acao abrao teve fe e agiu sai da sua parentela quem tem fe age sera que eh dificil entender nao adianta vc cumprir toda a lei pq foi obrigado. Imagina alguem que so cumpri a lei pq se nao cumprir ele vai ser apedrejado mas nao tem amor nao tem fe . hoje eu pago impostos pq sou obrigado mas nao tenho fe no governo nao acredito que minha contribuicao va beneficiar os pobres tai um exemplo de obras sem fe quer outro eu acredito que as vitimas da tragedia em mariana precisam da minha ajuda e que Deus quer que eu ajude eu falo pra todo mundo que precisamos ajudar mais eu mesmo nao ajudo eh um exemplo de fe sem obras na verdade fe sem obras eh uma pseudo fe nao existe isso fe eh acao da pra conciliar muito bem thiago pregava a caridade e paulo tambem a unica diferenca era que paulo prega para os gentios

    ResponderExcluir
  9. 2Co 5.17 - aqueles que estão em Cristo, são novas criaturas as coisas velhas se passaram e tudo se fez NOVO.
    novas atitudes, sonhos, conduta, prática, o meu novo nascimento gera uma conduta de acordo com a vontade de Deus, e isso, não implica necessariamente em obras, implica em mudança de vida, de dentro para fora. as minhas atitudes mostram a quem sirvo.

    ResponderExcluir
  10. A maioria não entende que quando Paulo falava contra as obras, principalmente na Carta aos Gálatas, se dirigia a um grupo desses gálatas que pretendiam que as obras e leis antigas vigorassem, também, no Evangelho de Jesus da Graça. Quais eram essas obras que segundo Lucas 16:16 só vigoraram até João Batista, pois se fizessem parte do Evangelho essas leis e obras antigas nos escravizariam e até nos matariam. Quais eram as principais dessas leis e obras malhada por Paulo: A principal citada por ele é a obra da carne, a Circuncisão, também sacrifícios de animais nos templos, todos os dias, a lei da segregação racial, a lei da Morte à qual Jesus aboliu ao salvar a mulher do apedrejamento e outras ordenanças da carne que escravizavam. Nada a ver com as boas obras, pois em Mateus 25:31 a 44 Jesus nos revela a salvação pelas obras e a condenação pela falta delas, da mesma forma que n Parábola do Rico e Lázaro. Também pelo exemplo da Parábola do Samaritano, Jesus nos revela a salvação pelas obras. Também no exemplo vivo do Jovem rico que procurava a Salvação na eternidade, Jesus lhe revel que há duas condições para a salvação: Obedecer a Deus na guarda de seus Mandamentos (Decálogo) e fazer caridade verdadeira (obras) a favor dos necessitados, que inclui a divisão de bens (Marcos 10:17 e seguintes) Então, quando Paulo malhava as obras, nada a ver com as BOAS OBRAS, pois ninguém melhor que Jesus fez tão boas obras quanto ele, pois por elas deu sua vida em sofrimento para o resgate de multidões que inclui você
    Waldecy Antonio Simões walasi@uol.com.br www.segundoasescrituras.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua resposta está corretíssima e perfeitamente de acordo com as Escrituras. Infelizmente poucas pessoas conseguem entender a diferença entre boas obras e obras da lei. A propósito, não consigo acessar o site que você disponibilizou acima. Abraço

      Excluir
  11. Gostaria de saber qual a fundamentação histórica para você afirmar que haviam divergências sobre essas questão na Igreja Primitiva do 1° Século?

    ResponderExcluir
  12. pessoal, não sei se sou muito burro ou sou muito inteligente, mas eu sei q as obras salvam, mas só p quem cumprir 100:,agora me falem de alguém q cumpriu a lei 100:, só Jesus. Então não é por aí, se caiu em uma caiu em todas, nossa única saída é a fé Naquele q fez a obra por nós na cruz, entenderam?

    ResponderExcluir
  13. pessoal, não sei se sou muito burro ou sou muito inteligente, mas eu sei q as obras salvam, mas só p quem cumprir 100:,agora me falem de alguém q cumpriu a lei 100:, só Jesus. Então não é por aí, se caiu em uma caiu em todas, nossa única saída é a fé Naquele q fez a obra por nós na cruz, entenderam?

    ResponderExcluir
  14. Muita confusão no artigo e nos comentários. Teve até um doido no comentário que falou que Paulo não era apóstolo e que Tiago era um dos 12 que irá julgar Paulo. O amigo sequer sabe quem foi que escreveu o livro de Tiago. Quem escreveu foi Tiago irmão de Jesus, que NÃO era apóstolo, era um líder de uma igreja judaica em Jerusalém.

    Basta estudar um pouco sobre o autor do livro para entender porque Tiago prega a salvação pelas obras. Está lá em Atos 21 e Atos 16. Tiago pregava pra igreja judaica a guarda das leis (não dos dez mandamentos, de TODAS as leis obviamente). Por esse motivo em sua carta orientada para AS 12 TRIBOS DISPERSAS, ele prega sobre as obras, sobre a guarda das leis, sobre as legalidades.
    Vale lembrar que a carta de Tiago é uma das primeiras escritas no NT, era o princípio da conversão dos judeus e talvez isso explique porque eles tinham esse pensamento equivocado sobre a salvação pelas obras.

    ResponderExcluir
  15. CONVITE À EDUCAÇÃO
    “Porque só um é vosso Mestre, o Cristo.”
    (Mateus: capítulo 23º, versículo 10.)

    Tarefa de todos nós — a educação.
    Ajusta-se a peça na engrenagem a benefício do conjunto.
    Harmoniza-se a nota musical em prol do poema melódico.
    Submete-se o instrumento ao mister a que se destina.
    O esforço pela educação não pode ser desconsiderado. Todos temos responsabilidades no contexto da vida, nas realizações humanas, nas atividades sociais, membros que somos da Família Universal.
    Ninguém consegue realizar-se isolado.
    Ignorância representa enfermidade carecente de imediata atenção.
    O labor educativo, por isso mesmo, impõe incessantes contribuições, exigindo valiosos investimentos de sacrifício a benefício do conjunto.
    Educa-se sempre, quer se pense fazê-lo ou não.
    Da mesma forma que a imobilidade seria impossível a inércia humana e a indiferença são apenas expressões enfermiças. Mesmo nesses estados criam-se condicionamentos que geram hábitos, educando-se mal, em tais circunstâncias os que se fazem nossos compares.
    A anarquia que distila vapores alucinantes conduzindo à estroinice, fomenta estados de vandalismo educação perniciosa.
    A ordem dispõe à disciplina que promove a equidade, atendendo à justiça — educação edificante.
    A educação, assim examinada, traslada-se dos bancos escolares para todos os campos de atividade, fazendo que todos nos transformemos em educadores, vinculados, sem dúvida, àqueles que se nos transformam em seguidores conscientes ou não, aprendizes conosco dos recursos de que nos fazemos portadores.Jesus, o Educador por Excelência deu-nos o precioso legado vivo da Sua vida que é sublime lição de como ensinar sempre e incessantemente produzindo saúde, harmonia e esperança em volta dos passos.
    E o Espiritismo, que nos concita a incessante exame educativo de atitudes e comportamentos conscientiza-nos sobre a responsabilidade de que, mediante a educação correta, chegaremos ao fanal da caridade perfeita.

    FRANCO, Divaldo Pereira. Convites da Vida. Pelo Espírito Joanna de Ângelis.
    FORMATAÇÃO E PESQUISA: MILTER - 05/02/2017

    ResponderExcluir
  16. CONVITE À EDUCAÇÃO
    “Porque só um é vosso Mestre, o Cristo.”
    (Mateus: capítulo 23º, versículo 10.)

    Tarefa de todos nós — a educação.
    Ajusta-se a peça na engrenagem a benefício do conjunto.
    Harmoniza-se a nota musical em prol do poema melódico.
    Submete-se o instrumento ao mister a que se destina.
    O esforço pela educação não pode ser desconsiderado. Todos temos responsabilidades no contexto da vida, nas realizações humanas, nas atividades sociais, membros que somos da Família Universal.
    Ninguém consegue realizar-se isolado.
    Ignorância representa enfermidade carecente de imediata atenção.
    O labor educativo, por isso mesmo, impõe incessantes contribuições, exigindo valiosos investimentos de sacrifício a benefício do conjunto.
    Educa-se sempre, quer se pense fazê-lo ou não.
    Da mesma forma que a imobilidade seria impossível a inércia humana e a indiferença são apenas expressões enfermiças. Mesmo nesses estados criam-se condicionamentos que geram hábitos, educando-se mal, em tais circunstâncias os que se fazem nossos compares.
    A anarquia que distila vapores alucinantes conduzindo à estroinice, fomenta estados de vandalismo educação perniciosa.
    A ordem dispõe à disciplina que promove a equidade, atendendo à justiça — educação edificante.
    A educação, assim examinada, traslada-se dos bancos escolares para todos os campos de atividade, fazendo que todos nos transformemos em educadores, vinculados, sem dúvida, àqueles que se nos transformam em seguidores conscientes ou não, aprendizes conosco dos recursos de que nos fazemos portadores.Jesus, o Educador por Excelência deu-nos o precioso legado vivo da Sua vida que é sublime lição de como ensinar sempre e incessantemente produzindo saúde, harmonia e esperança em volta dos passos.
    E o Espiritismo, que nos concita a incessante exame educativo de atitudes e comportamentos conscientiza-nos sobre a responsabilidade de que, mediante a educação correta, chegaremos ao fanal da caridade perfeita.

    FRANCO, Divaldo Pereira. Convites da Vida. Pelo Espírito Joanna de Ângelis.
    FORMATAÇÃO E PESQUISA: MILTER - 05/02/2017

    ResponderExcluir
  17. O primeiro erro, pra começar a comentar o artigo, é que é um quadro tendencioso e manipulador de raciocinio, é sofisma puro! Se o cara é ladrão, em Apocalipse diz que fora ficarão os ldrões, então não é salvo. O indio não é bom, nunca, pois o homem é todo mergulhado no pecado, é torto interiormente. Esse "bom" é o termo que usamos em condescendencia à nossa espécie, pois como temos um parametro do que é muito ruim, socialmente, entendemos que no fundo no fundo, tem gende boa por ai, mas a verdade, desde o VT é que não tem!! Tem gente querendo acertar, Jó foi chamado de justo e integro, mas esse critério é de Deus, não nosso.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...