terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Uma análise sobre o quarto evangelho

O evangelho segundo João

O quarto evangelho é chamado de evangelho espiritual de João, pois não é sinótico. Ele difere em muitos pontos das narrativas dos outros três evangelhos. Este evangelho só foi aceito como canônico, isto é, para fazer parte do canôn por causa de Irineu, bispo de Lion do segundo século, que queria que os evangelhos fossem quatro, porque a terra tem quantro cantos, quantro pontos cardeais etc....

Inicialmente, este evangelho sofreu rejeição pelos pais da igreja e bispos do primeiro século. primeiro devido a sua autoria, que apesar de ser atribuido a João, é questionavel, pois o apocalipse, escrito pelo mesmo autor, João se identifica na primeira pessoa: "Eu, João, que tmabém sou vosso irmão.... " Ap 1,9 ; o que não acontece neste evangelho. A única identificação mencionada neste evangelho, no capitulo 21, o autor se identifica como o discipulo que Jesus amava, o que também desqualifica ser João, porque João não era discipulo, era apóstolo. E havia um discipulo que Jesus amava, narrado no mesmo livro, chamado Lazaro. Este é provavelmente seu autor.

http://exegeseoriginal.blogspot.com.br/2012/04/joao-nao-e-o-autor-do-quarto-evangelho.html

Segundo que este evangelho omite fatos importantes da vida de Jesus e expôe outros igualmente importantes, que não foram mencionados pelos sinóticos. O evangelho segundo João, foi compilado, ou seja, vários manuscritos atribuidos ao mesmo autor, foram todos copiados em um livro/rolo só. Isso explica a falta de ordem cronológica do livro. Logo na caítulo 2 Jesus esta fazendo sua entrada triunfal em Jerusalém e nos capitulos seguintes vemos Jesus na judéia e Galiléia, o que contradiz a narrativa dos sinóticos.

Certas expressões e elementos presentes no quarto evangelho, desde o ínicio da igreja, foram observados como elementos não judeus. Talvez o autor tivesse sofrido uma influência gnóstica ou do helenismo romano. Quando Jesus chama sua mãe de "Mulher", no capítulo 2, por exemplo, pela halachá judaica da época isso seria uma blasfêmia! Estes elementos foram motivos de discussões e discórdias acerca deste evangelho.

Um dos principios básicos de hermeneutica e interpretação, é de que um livro bíblico, por ser inspirado, não pode contradizer outro livro. Teólogos cristãos sempre harmonizam as contradições, por mais que pareçam impossíveis. Um exemplo clássico neste evangelho é o caso dos samaritanos, que segundo Lucas, Jesus não entrou na aldeia dos samaritanos, ao ponto dos apostolos quererem pedir fogo do céu para puni-los (Lc9, 52-55). Segundo Mateus, Jesus ordena que eles não entrem em aldeias de samaritanos (Mt 10,5). e segundo João, Jesus não só entra na aldeia dos samaritanos, como é bem recebido e permanece ali por dois dias (Jo 4,40). Os teologos para harmonizar esta contradição dizem que foram duas vezes e em vilas diferentes. Mas é estranho a omissão acerca disso. Nem João menciona ser uma segunda vez e nem os outros. O autor de João da a entender que ele, Jesus foi bem recebido pelos samaritanos e omite as rejeições mencionadas pelos outos sinóticos. Que por sua vez omitem essa aceitação só notada por João.

Até a traição de judas é omitida no quarto evangelho, pois segundo o autor, Jesus mesmo se apresenta e se identifica, omitindo o sinal de judas e até sua traição.
 "Sabendo, pois, Jesus todas as coisas que sobre ele haviam de vir, adiantou-se, e disse-lhes: A quem buscais? Responderam-lhe: A Jesus Nazareno. Disse-lhes Jesus: Sou eu. E Judas, que o traía, estava com eles. Quando, pois, lhes disse: Sou eu, recuaram, e caíram por terra.Tornou-lhes, pois, a perguntar: A quem buscais? E eles disseram: A Jesus Nazareno.Jesus respondeu: Já vos disse que sou eu; se, pois, me buscais a mim, deixai ir estes; Para que se cumprisse a palavra que tinha dito: Dos que me deste nenhum deles perdi" (Jo 18, 4-9)
Frases ditas por Jesus neste evangelho se contradizem. Ora Jesus diz que não veio julgar o mundo, ora diz que julga:

"E se alguém ouvir as minhas palavras, e não crer, eu não o julgo; porque eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo." (João 12 : 4) "Vós julgais segundo a carne; eu a ninguém julgo." (João 8 : 15)
"E também o Pai a ninguém julga, mas deu ao Filho todo o juízo;" (João 5 : 22)
"Eu não posso de mim mesmo fazer coisa alguma. Como ouço, assim julgo; e o meu juízo é justo porque não busco a minha vontade, mas a vontade do Pai que me enviou." (João 5 : 30)
Ora diz que não testifica de sí mesmo, ora diz que se testefica de sí mesmo seu testemunho é verdadeiro.
"Se eu testifico de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro; Há outro que testifica de mim, e sei que o testemunho que ele dá de mim é verdadeiro." (João 5 , 31- 32)

"Respondeu Jesus, e disse-lhes: Ainda que eu testifico de mim mesmo, o meu testemunho é verdadeiro, porque sei de onde vim, e para onde vou; mas vós não sabeis de onde venho, nem para onde vou." (João 8 : 14)
 Esses são apenas alguns exemplos, que ao analisarmos mais detalhadamente, percebemos essas contradições. Algumas vezes percebemos que não parecem ser do mesmo autor, pois isso torna o messias incoerente. Por isso esse evangelho não é considerado sinótico, pois difere dos outros evangelhos e contradiz a sí mesmo em alguns pontos.

É o evangelho que mais contém acréscimos, como a mulher adultera, de João 8. E é também o que mais tem passagens que se assemelham a escritos pagãos, como a introdução que parece que não havia originalmente, ou a mulher do poço, por exemplo. A introdução do evangelho é idêntica a um veda Hindu de no minimo uns 3 mil anos antes. Ai muitos dizem que é obra se satanás, ou que o veda é uma fraude. Na verdade, basta perguntar a um hindu, pois o hinduismo é uma das religiões mais antigas do mundo e existem diversas comunidades de hinduismo no Brasil. Na idade média não era fácil comprovar uma alegação dessa. Mas hoje com a internet, basta uma rápida pesquisa que encontramos toda informação nescessária.

Frases que só aparecem neste evangelho, como "Meu reino não é deste mundo", ou "Na casa de meu pai tem muitas moradas" já serviram de base para diversas teorias, das mais absurdas as mais gêniais, e estranhamente, Jesus só diz tais frases neste evangelho. A simplicidade dos sinóticos é quebrada por este evangelho que mostra um Jesus mais mistico, com ensinamentos mais espiritualizados e com frases mais interiorizadas, como "Antes que abraão existisse, eu sou"

É o evangelho mais utilizado pelos trinitaristas, pois como dito anteriormente, neste evangelho, jesus aparece de uma forma mais mistica, se igualando ao pai, como por exemplo : "Eu e o pai somos um", frase apenas dita segundo este evangelho, e mesmo que no contexto, ser Um não signifique ser o mesmo (basta ver João17) ainda assim, neste evangelho vemos um messias mais divinizado, se igualando ao pai e mais dizarmonico com os conceitos judeus da época.

Quando você ve qualquer comparação de Jesus com messias pagãos, em sites ateus como zeitgeist, nota-se que sempre é o evangelho de João que é utilizado nessas comparações. Pois seu estilo de escrita e a forma como apresenta Jesus, difere e em muito da forma como os sinóticos apresentam o Messias.

Para chegarmos a essência do evangelho de João, devemos sempre compara-lo com os sinóticos e com os demais livros da bíblia. Talvez o evangelho original fosse bem menor do que o que temos hoje, mas como foi compilado e acrescido, tornou-se assim. Por isso eu utilizo a essência deste evangelho, o que é original. É claro que boa parte do evangelho foi escrita pelo mesmo autor e que não podemos negar sua inspiração divina. Mas devemos analisar bem suas passagens, pois conforme já dito, um livro por ser inspirado não pode contradizer outro livro e muito menos a sí mesmo. Esta postagem é só para reflexão e análise. Não é uma crítica e nem para desmerecer a escritura, mas apenas para os que estudam a palavra, levarem em consideração estes pontos que divergem.

Boa reflexão a todos!

 

4 comentários:

  1. Daqui a pouco não vai sobrar mais nada do Novo Testamento. Tudo para vocês é adulterado. As cartas de Paulo, a segunda epístola de Pedro, Lucas que era comparsa de Paulo....e agora o evangelho de João.
    Isaias 9:6 tmb é?

    ResponderExcluir
  2. Ronaldo A Paz, preciso saber o curso ou escola de ensino que vc faz ; para que eu também faça! e o curso de Hebraico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão Alexander, tudo bem? Eu acho que nunca devemos parar de estudar. estude, estude e estude. Veja como outros teólogos analisam, veja a patristica, a tradição judaica, a história etc.... e o hebraico existem bons cursos em diversas cidades.

      Abraços!

      Excluir
  3. Em Lucas 9: 51-56 Jesus tinha descido do monte onde ocorreu a transfiguração e aconteceu que Ele manifestou o firme propósito de ir a Jerusalém, Ele desce o monte (provavelmente em Betsaida) e logo depois quer ir a Jerusalém e antes de ir quer um lugar para hospedar em Samaria. Em João 4 Ele sai da Judeia para a Galileia, lugares diferentes e situações diferentes.
    Mateus 10:5 Jesus não ordena que não entrassem em aldeias de samaritanos, mas ordena que primeiro fossem às ovelhas perdidas da casa de Israel, analise no versículo 6 (Samaria é em Israel, mas estava misturada com outros povos e pagãos), analise também o verso 11 onde Cristo permite a entrada em qualquer cidade ou aldeia.
    João não relata o SINAL de Judas, mas sua afirmação em dizer que João omitiu a traição é totalmente falsa, analise João 6:70-71. 12:4. 13:21, 25-27, nestas passagens você verá João relatando que Judas é o traidor.
    Sobre julgar: Primeiro a passagem não está em João 12:4, mas em 12:47, Jesus é bem claro ao afirmar que veio para salvar e não para julgar, verdadeiramente ele venho para ser ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades e assim foi, mas no DIA DO JUÍZO a Palavra que Ele pregou há de julgar e condenar os que não crerão em sua Palavra.
    E João 8:15 os fariseus julgavam meras considerações físicas e o Senhor não faz meras acusações físicas (feio, alto e etc... eles não criam e julgavam a Jesus, pois esperavam um Cristo com corpo de um deus grego e com um reino terreno que vinhessem libertar Israel da escravidão impuntada por Roma e esses não é o interresse de Jesus), mas seu juízo é verdadeiro leia o verso 16 quando ele juga ele fala de Juízo e não considerações carnais.
    João 5:22 Deus Pai deu a Jesus a autoridade julgar no DIA DO JUÍZO.
    João 5:30 Ele declara que seu JUÍZO é verdadeiro, pois não busca a sua vontade, mas a de Deus Pai que o enviou.
    Resumindo: Jesus não faz meras acusações carnais, mas seu julgamento é no DIA DO JUÍZO.
    "Se eu testifico de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro" João 5:31 os judeus não aceitariam o testemunho de Jesus, pois a Lei exigia que houvesse pelo menos duas testemunhas Dt. 17:6, mas não sabia os Judeus que Deus Pai também testificava de Jesus leia João 8:18 e também João Batista testificava Dele leia João 1:19-29. 3:26, então quando Ele pregava sobre Ele mesmo os judeus o rejeitavam.
    João 8:14 Seu testemunho continua verdadeiro ainda que Ele testifique Dele mesmo, pois Ele sabe de onde veio e para onde vai, Ele veio do Deus verdadeiro (João 7:28) e voltaria para o Deus verdadeiro Ele é o Filho de Deus o Cristo o Salvador do mundo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...