quarta-feira, 13 de novembro de 2013

A variação textual do novo testamento

devido a intolerância religiosa, e ameaças que recebi de um grupo a-religioso, estou mantendo meus estudos privados e vejo cada vez mais a necessidade disso. Só liberei apenas alguns para expor minha visão teológica. Meu trabalho teológico sempre se baseou nos originais ou no mais próximos dos originais e não em ferreiras de Almeida e traduções. Recentemente tenho organizado mais meus estudos e adquirido mais material, como manuais de exegeses e códices, que podem me auxiliar e completar mes estudos. estou trabalhando cada livro do novo testamento, versículo por versículo, palavra por palavra, letra por letra, tentando ver cada alteração, quem fez, porque fez, e anotando tudo, como uma bíblia de estudo. Mas não vou mais dispôr publicamente e nem gratuitamente como fazia. primeiro porque tenho um custo em cada material que adquiro e quase nenhuma contribuição. Segundo porque depois que vi a intolerância religiosa de certos grupos, e como eles ignoram totalmente os originais seria ridiculo fazer estudos tão detalhados e dispõr gratuitamente na interne. Quem quiser que faça uma faculdade de teologia (uma vez que estes materiais não se acham na internet) ou contribuam. Os poucos amigos que já colaboraram com meu blog eu vou dispôr, assim que terminar.
papiro 45

No que me baseio em meus estudos

Como já disse, eu me baseio nos textos gregos o mais próximo do original possível. Vou mostrar porque isso é tão importante. Um apóstolo ou discipulo do primeiro século escrevia algo, que queria transmitir a alguém ou a uma comunidade. Esses escritos não existem mais, são chamados autógrafos. Os copistas, copiavam esses escritos no primeiro século e essas cópias também eram copiadas por outros. Essas cópias muitas vezes continham erros, que afetavam o sentido ou a lógica do texto, como em mateus 26,6 onde Jesus vai na casa de Simão o oleiro, e o copista entendeu o leproso, devido a semelhança linguistica.

Quando as escrituras chegaram aos gentios, os pais da igreja faziam interpolações nos textos, de acordo com seus interesses tendenciosos, como Origenes, Irineu, e outros, como por exemplo a epístola aos efésios que eles entenderam ser aos Efésos e adicionaram no capítulo 1 a introdução: "aos irmãos que estão em eféso". isso é só um exemplo que não afeta o sentido do texto ou os dogmas, mas outros pontos afetam e em muito com relação as doutrinas.

Muitas pessoas não se importam em estudar manuscritos e códices e acham que a bíblia caiu de fax do céu, e ainda brigam por doutrinas e dogmas que os apóstolos nunca disseram de verdade. Ainda metem o pau nos católicos ironicamente. Mas seguem coisas que foram os católicos que colocaram na escritura, como joão 8 por exemplo, a períscope da mulher adultera que não figura em nenhum manuscrito grego.

Vamos ver um pouco sobre os códices gregos e a variação do novo testamneto:

(a) Manuscritos originais NÃO existem; os manuscritos que existem são apenas cópias de cópias!

(b) É difícil imaginar que exista algum manuscrito cópia 100% igual ao manuscrito original!

(c) Com os manuscritos encontrados, tenta-se fazer uma RECONSTITUIÇÃO (RECONSTRUÇÃO, COMPILADO), da melhor forma possível!

COMPILADOS GREGOS

[1] Com relação aos manuscritos gregos do Novo Testamento, existem basicamente dois compilados: (a) o Texto Majoritário e (b) o Texto Crítico.

Deão Burgon e Scrivener defendiam o Texto Majoritário

Deão Burgon escreveu um livro em defesa do Texto Receptus chamado "The Revision Revised - A Revisão Revisada".

O Império Bizantino (= império Romano do Oriente) localizava-se, mais ou menos, na região onde hoje estão a Grécia e a Turquia

O Império Bizantino de fala grega foi preservado da invasão maometana e continuou até o século XV (quinze), quando surgiu a imprensa e, devido a isso, os manuscritos gregos do Novo testamento foram preservados, até hoje.

o Texto Grego do Novo Testamento foi preservado no império bizantino de fala grega; isso explica a grande quantidade encontrada de manuscritos bizantinos escritos em grego.

O Texto Majoritário (= Texto Bizantino) tem grande semelhança ao Texto receptus e, por isso, às vezes são considerados sinônimos, porém há algumas poucas diferenças entre os dois compilados, tais como, em Atos 8:37 e em 1 João 5:7-8.

PERGUNTA REFLEXIVA: Qual seria o melhor compilado? Qual seria o compilado mais próximo do original?

RESPOSTA: Veja, a seguir, as características de cada compilado e reflita qual deles seria o melhor.

TEXTO MAJORITÁRIO (TEXTO BIZANTINO) 

O Texto Majoritário é um compilado que possui as seguintes características:

(a) Baseado em uns 5000 (cinco mil) manuscritos gregos (a maioria);

(b) Tais manuscritos NÃO são os mais antigos (séculos oito, nove, dez, etc).

(c) Tais manuscritos possuem POUCAS variantes textuais entre si;



TEXTO CRÍTICO (TEXTO ALEXANDRINO/EGÍPCIO) 

O Texto Crítico é um compilado que possui as seguintes características:

(a) Baseado apenas em cinco manuscritos gregos;

(b) Tais manuscritos são os MAIS ANTIGOS existentes (séculos quatro, cinco).

(c) Tais manuscritos possuem MUITAS variantes textuais entre si;



TEXTO CRÍTICO 
As partes em rosa são adições e as em azuis variantes

Texto Crítico (Texto Alexandrino/Egípcio) é o nome que se dá ao compilado do Novo Testamento baseado apenas nos cinco mais antigos manuscritos gregos do Novo Testamento (Aleph, A, B, C e D); os estudiosos que produziram compilados baseados apenas nesses cinco manuscritos foram: Lachmann (1842-1850), Tischendorf (1865-1872), Treguelles (1857-1872), Westcott e Hort (1881) e Nestle-Aland.

No século VII (sétimo), as igrejas do Norte da África (Egito) e da Síria foram eliminadas pela invasão maometana; isso explica a pequena quantidade encontrada de manuscritos alexandrinos (egípcios) escritos em grego.

Texto de Westcott e Hort

O Texto de Westcott e Hort é o texto desenvolvido por Brooke Foss Westcott (1825 - 1901) e Fenton John Anthony Hort (1828 - 1892).

Westcott e Hort consideraram como base para o seu texto APENAS o Manuscrito Aleph (códice Sinaítico) e o Manuscrito B (códice Vaticano), os quais são un dos manuscritos mais antigos que existem.



Texto de Nestle-Aland

Eberhard Nestle (pai)(1851 - 1913), Erwin Nestle (filho)(1883 - 1972) e Kurt Aland (1915 - 1994) produziram um um texto (Texto Nestle-Aland), o qual é uma junção de três textos: (1) Texto de Westcott e Hort, (2) Texto de Tischendorf e (3) Texto de Bernhard Weiss.



VARIANTES TEXTUAIS DO TEXTO CRÍTICO

As Variantes Textuais do Texto Crítico são as seguintes:

Os códices Aleph, B e D estão em maior discordância entre si do que com o Texto Majoritário;

As Variantes Textuais de Marcos 2 são: Aleph, B e D diferem do Texto Receptus 69,71 e 95 vezes, respectivamente; B difere de Aleph 34 vezes; B difere de D 102 vezes; D difere de Aleph 100 vezes.

As Variantes Textuais entre os quatro evangelhos entre Aleph e B são: Mateus apresenta 656 diferenças; Marcos apresenta 567 diferenças; Lucas apresenta 791 diferenças; João apresenta 1.022 diferenças; Total dos quatro Evangelhos apresenta 3.036 diferenças.

[2] As grandes diferenças entre o Texto Majoritário e o Texto Crítico são: (a) final de Marcos 16, (b) a passagem sobre a mulher adúltera (Jo 8:1-11), (c) a passagem em 1João 5.



"VARIAÇÃO TEXTUAL DE VOCÁBULOS"
VERSUS
"VARIAÇÃO TEXTUAL DE SENTIDO"


PERGUNTA REFLEXIVA: Considerando que uma porcentagem GRANDE de "Variação Textual de Vocábulos" NÃO significa, necessariamente, uma GRANDE "Variação Textual de SENTIDO", QUAIS SERIAM as principais Variações Textuais DE SENTIDO, do Novo Testamento?

É possível que um conjunto de manuscritos apresente uma GRANDE "Variação Textual de Vocábulos", porém com uma PEQUENA "Variação Textual de SENTIDO" e vice-versa.

SIMULAÇÃO A: Nesta simulação, os dois manuscritos hipotéticos apresentam uma GRANDE Variação Textual de Vocábulos, MAS apresentam uma PEQUENA Variação Textual de Sentido.

manuscrito hipotético 1 ? A sua mãe é esforçada, pois ela sempre trabalhou para dar comida e material escolar a vocês.

manuscrito hipotético 2 ? A mulher de seu pai é uma guerreira; ele trabalhou muito, para que vocês tivessem o que comer e, para que vocês tivessem estudo.


SIMULAÇÃO B: Nesta simulação, os dois manuscritos hipotéticos apresentam uma PEQUENA Variação Textual de Vocábulos, MAS apresentam uma GRANDE Variação Textual de Sentido.

manuscrito hipotético 1 ? A sua mãe é esforçada, pois ela sempre trabalhou para dar comida e material escolar a vocês.

manuscrito hipotético 2 ? A sua mãe não é esforçada, pois ela nem sempre trabalhou para dar comida e material escolar a vocês.
[1] O Texto Crítico possui 62,9% de Variantes Textuais de Vocábulos.

Mateus ? 59.9% de variantes

Marcos ? 45,1% de variantes

Lucas ? 57,2% de variantes

João ? 51,8% de variantes

Atos ? 67,3% de variantes

Romanos ? 75,5% de variantes

1Coríntios ? 75,7% de variantes

2Coríntios ? 78,1% de variantes

Gálatas ? 76,5% de variantes

Efésios ? 76,1% de variantes

Filipenses ? 70,2% de variantes

Colossenses ? 72,6% de variantes

1Tessalonicenses ? 68,5% de variantes

2Tessalonisences ? 72,3% de variantes

1Timóteo ? 81,4% de variantes

2Timóteo ? 79,5% de variantes

Tito ? 71,7% de variantes

Filemom ? 76,0% de variantes

Hebreus ? 77,2% de variantes

Tiago ? 61,1% de variantes

1Pedro ? 66,6% de variantes

2Pedro ? 52,5% de variantes

1João ? 72,4% de variantes

2João ? 61,5% de variantes

3João ? 73,3% de variantes

Judas ? 72,0% de variantes

Apocalipse ? 52,8% de variantes

TOTAL DO NOVO TESTAMENTO ? 62,9% de variantes

Fatos Históricos

Em 323 d.C., Constantino tornou-se imperador de Roma e declarou o cristianismo como religião oficial do Império Romano; antes disso, durante tempos de perseguição, os cristãos copiavam os Escritos, mas os Escritos eram queimados.

Em 382 d.C., o papa Damásio ordenou que Jerônimo traduzisse as Escrituras para o Latim, tradução conhecida por Vulgata Latina.

Manuscrito B (= Códice Vaticano)(datado do século IV) ? recebe esse nome, porque está na Biblioteca do Vaticano; esse códice possui aproximadamente 2.556 omissões (Scrivener, pg. 120, Vol. I)

Manuscrito Aleph (= Códice Sinaítico)(datado do século IV) ? foi descoberto em um convento do Sinai e está no Museu Britânico; devido ao número de erros, não se pode afirmar que tal códice tenha sido escrito, com cuidado; esse manuscrito possui muitas correções; há muitas correções feitas por algum escriba do sexto século (Scrivener, pg. 93, Vol. I)

Manuscrito A (= Códice Alexandrino)(datado do século V) ? foi trazido da Alexandria e está no Museu Britânico.

Manuscrito C (= Códice Efraemita)(datado do século V) ? é um palimpsesto, ou seja, um manuscrito que foi apagado e reaproveitado; o texto do Novo Testamento foi apagado no século XII e, no lugar, foram escritos tratados de Efrem da Síria; felizmente, o texto apagado não desapareceu completamente e ainda pode ser lido por peritos; este manuscrito está na Biblioteca Nacional de Paris

Manuscritos D (= Códice de Beza + Códice Claromontano)(ambos datados do século VI) ? O códice de Beza tem esse nome por ter pertencido a Teodoro de Beza; o códice Claromontano é um manuscrito bilíngue (grego e latim) do século VI, que contém as cartas de Paulo e a carta aos Hebreus; recebeu esse nome por ter sido descoberto em Clermont, por Teodoro Beza; encontra-se na Biblioteca Nacional da França.

Códice Beza Greco-Latino (D) (quinto ou sexto século) - “O manuscrito sofreu correções, primeiro pela mão do escritor original, e depois por 8 ou 9 revisores.” E novamente: “Nenhum manuscrito conhecido contém tantas interpolações de caráter atrevido e extenso (600 só no livro de Atos), onde estas absolutamente não têm apoio, especialmente das versões Antiga Latina e Siríaca Curetoniana.” (Scrivener, pgs. 128 e 130, Vol. I)


A Versão Curetoriana é reconhecida como uma adulteração da Versão Siríaca, enquanto que a Peshita do segundo século, conhecida como a “Rainha das Versões”, era a versão siríaca comumente aceita. A Peshita está em concordância com os manuscritos gregos mais recentes, e provê um elo vital entre o texto usado pelos Pais da Igreja primitiva e o Texto Recebido.

Manuscritos Alexandrinos (Egípcios).

 B46

Chester Beatty II

200 d.C.

Cartas de Paulo

 B66

Bodmer II

200 d.C.

Evangelhos

 B72

Bodmer VII/VIII

Século III/IV

1-2Pedro; Judas

 B75

Bodmer XIV-XV

Século III

Partes de Lucas - João

Aleph

Códice Sinaítico

330-360 d.C.

NT

B

Códice Vaticano

325-350 d.C.

Mt – Hb 9,14

A

Códice Alexandrino

400 d.C.

(exceto Evangelhos)

C

Códice Efraemita Rescriptus

Século V

(exceto Evangelhos)

Q

Códice Guelferbytanus B

Século V

Partes de Lucas - João

T

Códice Borgianus

Século V

Partes de Lucas -João

I

Códice Freerianus

Século V

Cartas de Paulo

Z

Códice de Dublin

Século VI

Partes de Mateus

L

Códice Regius

Séculos VIII

evangelhos

W

Códice de Washington

Século V

Lucas 1:1-8:12; J5:12-21:25

057

Uncial 057

Século IV/V

Atos 3:5-6,10-12

0220

Uncial 0220

Século VI

NT (exceto Apocalipse)

33

Minúsculo 33

Século IX

Romanos

81

Minúsculo 81

1044

Atos, Paulo

892

Minúsculo 892

Século IX

Evangelhos

Conteúdo do Papiro 46 (datado do primeiro século/ano 50 d.C.): Rom. 5:17-6:3, 5-14; 8:15-25, 27-35; 8:37-9:32; 10:1-11:22, 24-33; 11:35-15:10; 15:11-16:27; Heb. 1:1-9:16; 9:18-10:20, 22-30; 10:32-13:25; 1 Cor. 1:1-9:2; 9:4-14:14; 14:16-15:15; 15:17-16:22; 2 Cor. 1:1-11:10, 12-21; 11:23-13:13; Ef. 1:1-2:7; 2:10-5:6; 5:8-6:6, 8-18, 20-24; Gal. 1:1-8; 1:10-2:9, 12-21; 3:2-29; 4:2-18; 4:20-5:17; 5:20-6:8, 10-18; Fll. 1:1, 5-15, 17-28; 1:30-2:12, 14-27; 2:29-3:8, 10-21; 4:2-12, 14-23; Col. 1:1-2, 5-13, 16-24; 1:27-2:19; 2:23-3:11, 13-24; 4:3-12, 16-18; 1 Tes. 1:1; 1:9-2:3; 5:5-9, 23-28; 1 Cor. 1:13-14; 4:10; 5:7-8; 14:15; 15:50; 16:23; 2 Cor. 4:12; 6:2; 11:21-22;

====================================================================

TEXTO MAJORITÁRIO/RECEPTUS

Manuscritos Bizantinos

Em 1516 AD, a primeira edição impressa do Novo Testamento grego foi publicada por Erasmo de Rotterdam (1466 - 1536). Embora Erasmo tivesse usado apenas uns poucos manuscritos gregos, o seu texto no geral concordou com 90 a 95% dos 5.000 manuscritos, ou até mais. Erasmo não utilizou o Códice Vaticano.

Entre 1516 e 1526 Erasmo produziu mais quatro edições do texto grego, e em 1550 Estéfano publicou um texto semelhante incorporando as valiosíssimas divisões em versículos; as dez edições de Beza (1565-1611) tinham pequenas variações, e o seu texto foi reeditado mais tarde por Elzevir com mínima modificação.

As duas edições de Abraão Elzevir foram publicadas em 1624 e 1633. Esta última foi o primeiro texto a ser chamado de Texto Recebido ou Textus Receptus. Este título é proveniente da declaração de Elzevir no prefácio da edição de 1633: “Agora tendes o texto recebido por todos.” Entretanto, o termo Textus Receptus pode igualmente ser aplicado aos textos de Erasmo, Estéfano, Beza e Elzevir.

A denominação "Textus Receptus" tem sua origem no prefácio da edição de 1633 (dos irmãos Bonnaventura e Abraão Elzevir) que diz em latim: Textum ergo habes nunc ab omnibus receptum, in quo nihil immutatum aut corruptum damus (Tens, portanto, o texto agora recebido por todos, no qual nada oferecemos de alterado ou corrupto). As palavras "textum" e "receptum" foram utilizadas no caso nominativo para formar "Textus Receptus".

Os MANUSCRITOS GREGOS do Novo Testamento são classificados como: Alexandrino, Ocidental, Cesareense e Bizantino. Desse total de 5745 manuscritos, de 80% a 90% são manuscritos Bizantinos.

DESCOBERTAS ATÉ 2005.

Papiros ? 118 papiros

Unciais ? 317 unciais

Minúsculos ? 2877 minúsculos

Lecionários ? 2433 lecionários (= lições dos pais da igreja: pais latinos e pais gregos)

TOTAL ? 5745

Desse total de 5745

Paz a todos!

Ronaldo

Volto em breve!

6 comentários:

  1. Ronaldo, quão feliz me deixou agora por novamente ler algo seu!

    Acredite, seu trabalho não é em vão, tem admiradores do seu trabalho! Se soubesse você o quanto eu o respeito e admiro! Apesar dos meus 20 anos, acredite que tem aqui um fã e um admirador incondicional!
    Sempre o seguirei e o ouvirei atentamente!
    Acredite de seu coração que é abençoado por Deus! A sua missão é trazer esclarecimento e restablecer a verdade. Reconheço a grandiosidade do seu trabalho e o quanto se dedica a ele de coração e alma!

    Nunca desista, eu admiro você! Eu e muitos!

    Obrigado!
    Obrigado por novamente escrever!
    Nem imagina a felicidade e preenchimento que me trouxe!

    Deus sempre o abençoe e esteja consigo, e lhe dê sempre força!
    Muita coragem!
    Tudo de bom para si!

    Abraço,
    Ricardo

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Ronaldo por compartilhar seus estudos conosco.

    Ando muito confuso sobre se o correto e guardar os mandamentos e me tornar um bnei noah ou um judeu caraita ou se continuo aceitando yeshua como messias.Estes dois links em sequencia me colocaram questoes sem respostas.Aguardo anciosamente por uma resposta .
    PS "nao ajudei ainda financeiramente o blog pela duvida em relacao ao messias.

    http://www.matutando.com/por-que-jesus-nao-e-o-messias-judeu/
    http://antimissionario.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá irmão! Independente da crença no messias ou não, nenhum gentio é obrigado a seguir as leis da Torá, ao menos que se converta ao judaísmo. Porque a lei foi dada para um povo e portanto, obrigatória a esse povo. O gentio que segue as leis por lógica ou moral, como por exemplo, não matar, não se prostituir etc...esta certo, mas ele não tem a obrigação de seguir os preceitos dados exclusivamente ao povo judeu. Costumo citar como exemplo, Ciro o rei da Pérsia que foi chamado de Ungido até, e mesmo assim nunca precisou se converter a Torá para agradar á Deus. Da mesma forma Nabucodonossor, a Rainha de Sabá dentre outros. Deus exige dos gentios bons atos. Que sejam pessoas boas e tenham boas atitudes. A lei foi destinada aos judeus. Por isso o judaísmo nunca fez proselitismo. Os judeus ensinam, aconselham, mas nunca convertem ninguém, pois trata-se de uma aliança.

    Sobre os links que postou, os conheço e não discordo. O novo testamento não é original e como você pode ver nessa postagem mesmo, foi todo corrigido e adaptado para transformar Jesus no messias judeu. Não costumo me meter em questões de fé e crença, pois já tive inúmeras discussões sobre isso e como pode ver já não estou nem postando mais no blog, pois quando um pessoa tem uma fé estabelecida, não existe razão que mude isso, só gera discórdia e não vale a pena. Mas eu recomendo que leia o antigo testamento, pois o messias deveria no minimo cumprir as profecias que Deus disse. leia as profecias e uma hora vai tirar as mesmas conclusões que todos que leem com a razão.

    Sobre ofertas, já nem espero mais de ninguém, pois em três anos percebi que a maioria dos cristãos só colaboram com quem promete algum retorno, que Deus vai dar em dobro etc... Na verdade os cristãos não fazem ofertas, eles negociam com Deus rs.

    Abraços e tudo de bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os escritos dos pais da Igreja primitiva mostram que não houve tentativa de transformar Jesus no Messias. Ele era o Messias.

      Excluir
  4. Não nos conhecemos, mas apesar de 50 anos mais velho que o Ricardo tenho seguido vc. no Face e no s/Blog. Hoje é muito cômodo ler o que está escrito há muito tempo ou uma bela tradução, mas qdo alguém vai fundo em suas pesquisas, não tem valor. Isto já aconteceu muito comigo e lamento muito os esforços de quem não simplesmente se acomoda. Continue e que o Senhor Deus te dê força e bênçãos.
    Abraço,
    Aldemar

    ResponderExcluir
  5. Parabens pelo excelente trabalho.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...