terça-feira, 12 de julho de 2016

Jerusalém e Vaticano, duas Jerusaléns odiadas e perseguidas

Paulo, fala em sua epístola aos Gálatas sobre duas alianças, creio que todo cristão saiba disto. Uma aliança feita com os judeus e outra aliança feita com os gentios, é inclusive o significado do termo do conjunto de livros, chamado popularmente de novo testamento, mas que seria melhor o termo nova aliança.

É comum os cristãos dizerem que são partes da nova aliança, sobretudo quando questionados acerca da lei, e citam inclusive uma profecia de jeremias no capítulo 31 que diz:

"Eis que farei uma nova aliança com a casa de Israel e de Judá, não como a aliança que fiz com seus pais no deserto" Jr 31:31

Como vemos, o velho testamento já profetizava acerca de uma nova aliança. Mas o que muitos não observam no texto de Paulo é que o autor também cita duas Jerusaléns de modo analogo, alegórico.

Então se houve duas alianças, uma aliança era simbolizada por Jerusalém, e a outra por uma nova Jerusalém. Segundo Paulo, a primeira Jerusalém era escrava com seus filhos. Eu acho a tradução escrava um termo muito forte, prefiro uma serva obediente da lei, que é o que Jerusalém sempre foi. Já a outra Jerusalém era livre, termo que também acho errado, pois livre, da a entender libertinagem, mas digamos que a nova Jerusalém seria independente da lei. Resumindo, uma Jerusalém que segue a lei e outra independente, duas alianças. Quente e fria.

Conforme eu já mencionei em vídeo, a lei foi dada para os judeus e faz parte de uma aliança entre Deus e um povo, portanto, só o judeu é obrigado a seguir a lei. O gentio nunca foi obrigado a seguir a lei e nem por isso desagradou a Deus, como sempre eu cito como exemplo, o Rei Ciro da Pérsia foi chamado até de Ungido (messias) por Deus mesmo sendo pagão e nunca foi lhe exigido seguir a lei dos judeus. E existem outros exemplos na escritura, porque a lei fazia parte de um pacto entre um Deus e um povo.

Isso não significa que os gentios sejam pecadores ou livres para pecar, mas que os gentios deveriam ter suas próprias leis, de acordo com seus costumes. A igreja católica, primeira instituição cristã, decidiu seguir o exemplo de atos 15, quando os apóstolos se reuniram e decidiram por intermédio do espirito santo o que deveria ser imposto aos gentios, isso também é chamado pro alguns de leis noéticas, ou seja as únicas leis de fato obrigatórias aos gentios.

Apesar de haverem até pontos em comum entre a igreja católica e os judeus, isso não significa que a igreja católica siga a lei, mas suas decisões são tomadas pelo clero. Por exemplo, tanto a igreja católica quanto o judaísmo consideram o homossexualismo um pecado. Os judeus porque esta escrito na sua lei. Os católicos porque os apóstolos decidiram desde atos 15 que os gentios não deveriam ter praticas sexuais ilícitas, não porque a lei dos judeus diz.

Já a grande maioria dos evangélicos condenam a homossexualidade citando a lei dos judeus. Mas quando são questionados o porque não seguem a lei toda, argumentam que a lei era apenas para os judeus! Mas o dizimo por exemplo que é um preceito apenas da lei eles seguem. Já leis alimentícias ou a guarda do sábado não. Ou seja, eles não fazem parte nem de uma aliança nem de outra. São mornos. Não vivem nem sob a lei e nem sob a graça. Não seguem um critério lógico para definir o que deve ou não ser seguido pelos gentios, mas apenas se baseiam em seus próprios conceitos convenientes, como o dizimo por exemplo.
Vide o vídeo:



A própria critica histórica dos evangélicos no Brasil a igreja católica se refere as imagens de escultura que ornam as igrejas católicas. Mas esse mandamento também é da lei, portanto para os judeus. Fora que se esse mandamento de êxodo 20 significasse mesmo uma proibição de se ornar templos religiosos, como eles explicam Deus ter mandando ornar todo o templo de Salomão?? Ou a arca da aliança que era ornada com dois querubins  onde Moisés se prostrava para falar com Deus? E a serpente de bronze que Deus mandou Moisés erguer no deserto? E por aí vai!

Imagine um evangélico nessa época! Ele seria o primeiro a romper com a congregação de Israel acusando-a de idolatria


Fora que o próprio fato da igreja católica ter transgredido esse mandamento, atesta que ela representa uma Jerusalém livre da lei, que baseia suas decisões em concílios e não na lei que foi dada aos judeus.

Paulo também disse em suas epístolas aos tessalonisensses, que haveria um arrebatamento. Não vou me focar muito sobre isso nesse artigo porque já tenho aqui neste blog outros artigos sobre isso, mas o fato é que arrebatar é mudar subitamente de lugar (vide o arrebatamento de Felipe em atos 8), e o que Paulo esta dizendo é que o reino de Deus seria arrebatado dos judeus e entregue aos gentios.

                                         Mito do arrebatamento


Devido as traduções e a literalidade do texto, todos pensam que Paulo esta se referindo a um arrebatamento aos céus. Note primeiro, que Paulo estava falando de sua época e de sí mesmo quando ele diz: "NÓS, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados" portanto se fosse um arrebatamento literal pro céu, Paulo teria se equivocado porque nenhum deles, incluindo paulo o foi. Fora que céus na bíblia é outra alegoria, basta ler o capítulo 31 de Ezequiel que ele utiliza a mesma linguagem se referindo ao Faraó!!!

ps. os manuscritos mais antigos de Tessalonissensses trazem apenas: "Nós, os vivos seremos arrebatados" O trecho: "Os que ficarmos" foi apenas uma correção da igreja devido ao fato de ninguém ter sido arrebatado.

                                          Vídeo do professor Sabino acerca disso:


Então na visão de Paulo, aquela geração, a sua, seria transladada (significado real de arrebatamento) de um lugar para outro, da terra para os céus (lugar de paz). Isso exemplifica uma parábola de Jesus que dissera:

"E quanto aos maus lavradores, a terra será retirada de sí e será dada a um outro povo que produzirá frutos"

Paulo diz que a nova Jerusalém vem do alto,o que é confirmado em apocalipse por João e reflete uma profecia popular e conhecida do primeiro século dentre os cristãos. Mas do alto, não que literalmente exista uma cidade no céu e que ela vai descer fisicamente na terra como imaginam alguns rs Mas que essa nova Jerusalém seria formada por um poder divino, algo que viesse de cima.

No primeiro século houva a grande transição. Jerusalém teve duas guerras judaico-romanas violentas, que destruíram Jerusalém, dizimaram boa parte do povo e levou a dispersão dos judeus pela terra. Jerusalém chegou a ter o nome mudado pelo imperador Adriano para Aélia capitólia, após o mesmo ter proibido os judeus por decreto de permanecerem em Jerusalém, isto é, os judeus que sobreviveram a guerra.

Queda de Jerusalém


Nos primeiros séculos o cristianismo também sofreu perseguição, inicialmente por parte dos judeus e em seguida dos Romanos. Mas depois os cristãos foram aumentando em número,convertendo mais pessoas, convertendo políticos romanos, e no ano 325 o imperador Teodósio assinou um decreto permitindo que os cristãos cultuassem seu Deus livremente, e logo em seguida, Constantino oficializou o cristianismo como a religião oficial dos estado Romano, surgindo então a igreja como instituição, no caso a católica romana.

Nestes acontecimentos, nós os preteristas, vemos o cumprimento de várias e várias profecias do apocalipse, como a besta (ROMA) que faria guerra ao cordeiro (Cristãos) mas seria derrotada, e o cordeiro venceria, e não haveria mais pranto, nem dor e nem morte (simbolizando o fim da perseguição aos cristãos) e todos viveram em paz na nova Jerusalém (ROMA)

De fato Roma se tornou a sede do cristianismo no mundo antigo e simbolizou a vitória do cristianismo sobre o paganismo, a base de muito sangue e muitos mártires, diga-se de passagem. E essa nova Jerusalém seria um reflexo do que foi a primeira, portanto antagônicas e semelhantes ao mesmo tempo.

Os cristãos então decidiram erguer uma simples capela no local onde segundo a tradição foi morto o primeiro Papa, Pedro. A partir daquela capela, que era o local de encontro dos primeiros cristãos surgiu então anos mais tarde o que nós conhecemos hoje como Vaticano. Por isso também é chamado de Basílica de São Pedro.

O Vaticano segue as tradições cristãs, dos pais da igreja e dos primeiros mártires, não dos judeus. Mas semelhanças existem sim, como as vestes dos sacerdotes, o uso do gorrinho na cabeça que é identico ao Quipá etc......

Depois das divisões na igreja é comum vermos mentiras acerca do vaticano, sendo chamado inclusive por uma grande maioria evangélica de prostituta do apocalipse. Engraçado que quando eu falo de acréscimos da bíblia os evangélicos argumentam que Deus não permitiria alterações em sua palavra, mas segundo eles mesmo então, Deus preservou sua palavra numa prostituta!!!  Fora que boa parte do que eles seguem foi a prostitua que acrescentou na palavra pois tem muita coisa que tem nas bíblias que não tem nas escrituras!!! (Vide neste blog artigos sobre acréscimos)

Dizem que a igreja é satanista porque no trono do papa tem uma cruz invertida. Essa cruz invertida simboliza na verdade a forma como São Pedro, o primeiro Papa foi morto, pois segundo a tradição, Pedro não se achava digno de ser crucificado como Jesus e pediu para inverterem sua cruz. Dizem que o trono do papa é de ouro, sendo na verdade de madeira revestida de bronze, já demonstrei isso no artigo anterior. E mais um monte de mentiras que se propagam pelas redes sociais.

Mas segundo a bíblia, desde o velho testamento, Deus seria proclamado por um povo que não o conhecia, os gentios, e haveria uma nova Jerusalém e uma nova aliança. Se segundo estes evangelicos a nova Jerusalém ainda virá e descerá do céu, então nós estamos anda na nova alinaça, pois as duas são interligadas. A nova Jerusalém simboliza já a nova aliança.

E não explicam então o porque Paulo ter se equivocado tanto, pois segundo o mesmo, a nova Jerusalém já estava presente na sua época, e não que viria dois mil anos depois!

Independente de não ser católico, sei que a igreja católica foi a base da civilização ocidental. Teve erros, teve sim e muitos, assim como no período do reis de Israel, eles também cometeram muitos erros. Muitos evangélicos e ateus acusam por exemplo, a igreja católica de ter feito as cruzadas. As cruzadas foram uma resposta a invasão muçulmana na Europa, se não fosse as cruzadas hoje ninguém poderia ser nem evangélico e nem ateu, seriamos todos muçulmanos oras!



E essa mesma instituição preservou escritos, de judeus inclusive, história e tradição. Durante a idade média sofreu vários ataques e resistiu, inclusive quando Napoleão Bonaparte invadiu o vaticano e assassinou o então papa da época. O que lembra algo:

"Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei minha igreja, e as forças do mal não prevalecerão sobre ela. O que ligares na terra será ligado no céu"

Essa resistência, ou proteção divina, é semelhante a que nós vemos em Jerusalém dos tempos bíblicos, e, recentemente quando os judeus retornaram á Jerusalém cumprindo profecias velho-testamentáiras. Duas guerras inicialmente ocorreram contra Israel, sendo os Países maiores em número, e unidos, e mesmo assim, o então recém formado estado de Israel resistiu e prevaleceu. Recentemente em uma das muitas guerras palestinas e judaicas, um palestino ousou dizer: "É como se o Deus deles segurasse os nossos mísseis" mostrando o retorno da primeira aliança e fim da cólera divina. Segundo as profecias, sobretudo zacarias 12, Jerusalém habitaria novamente segura em seu lugar e todos que se voltassem contra ela seriam destruídos.

E a nova Jerusalém a bíblia não menciona muito, a não ser uma determinação de período de tempo. Segundo paulo, o poder seria entregue aos gentios e depois retornaria aos judeus.

"Depois virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo o império, e toda a potestade e força.Porque convém que reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés.Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte.Porque todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. Mas, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, claro está que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas.
E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos".
1 Coríntios 15:24-28

As profecias extra-bíblicas, várias, pressagiam o fim da nova Jerusalém, a queda do vaticano. Os próprios católicos possuem uma profecia de São Malaquias que previu todos os Papas até o ultimo, culminando com o fim da igreja católica, sendo este ultimo, segundo a ordem o Papa Francisco.

"Na derradeira perseguição a santa igreja católica, pedro, o romano se assentará no trono de São pedro, e então chegará o fim"

Outra profecia católica que da a entender isso é a profecia de Fátima, onde na aparição a três pastores em Fátima, ela lhe revela três segredos, que um mal surgiria na Russia (comunismo) que haveria uma grande guerra (a segunda guerra) e o terceiro segredo nunca foi revelado por completo, mas o trecho público diz que ela viu o santo padre (O Papa) em meio a escombros e corpos de mortos por toda a parte, ou seja o fim do vaticano.

Outras profecias fora da bíblia também dão a entender o mesmo. Hoje, isso não parece tão improvavel uma vez que os muçulmanos estão fazendo uma migração em massa para a Europa e eles mesmo já ameaçaram destruir o Vaticano. Já tem tantos muçulmanos na Europa, por causa da esquerda diga-se de passagem, que em aluns lugares da Europa eles já são a maioria, como em bruxelas, por exemplo, onde eles são mais de cinquenta por cento da população.



Com uma interpretação mais intensa que a dos evangélicos, muçulmanos abominam as imagens que ornam as igrejas, só que ao contrário dos evangélicos, alguns acham que eles tem a missão divina de destruí-las, assim como seus seguidores, os infiéis. Membros do estado Islãmico por exemplo,que são mais radicais, não pouparam nem sequer relíquias arqueológicas da humanidade destruindo templos considerados os mais antigos do mundo. Eles ignoram que essas construções, ainda que pagãs segundo eles, são reflexos de épocas e povos anteriores que habitaram aquele lugar.

Estado Islamico destrói relíquias arqueológicas da humanidade
Ambas as cidades sempre foram amigas e inimigas, e suas histórias sempre se cruzaram na linha do tempo da humanidade. Papas já expulsaram judeus de países cristãos, assim como Papas também já protegeram judeus em Países cristãos, ameaçando inclusive de excomunhão quem perseguisse judeus.Durante a segunda guerra por exemplo, o Papa Pio XII fez um cordo com Mussolini para que o Vaticano fosse independente, só assim, podendo abrigar judeus dentro do vaticano sem a intervenção dos Nazi-fascistas.

Diz a história que o vaticano escondeu judeus até dentro dos aposentos papais. O rabino mór de Jerusalém da época inclusive, quando viu os judeus sendo mortos na Europa nazista, escreveu ao Papa pedindo ajuda dizendo: "O novo testamento deve ajudar o velho" que foi atendido pelo Papa, hoje chamado nas redes sociais de papa nazista!

O Papa João XXIII que na época da segunda guerra era apenas um Bispo, desviou um trem inteiro de judeus presos, dos campos de concentração da Polônia para Roma. E para isso ele mentiu para o oficial nazista dizendo que eram cristãos convertidos sob sua custódia. Mesmo sem nenhum documento para
 atestar sua história, o oficial acreditou por ser ele um sacerdote católico, o que o impediria de mentir rs

Atualmente o Vaticano e Jerusalém possuem boas relações diplomáticas, como estados democráticos, independente de religião. O Vaticano paga por exemplo para Israel o aluguel referente aos patrimônios da igreja que ficam em Israel, como a igreja do santo sepulcro e demais lugares santos para os cristãos. Os cristãos são livres para visitarem os lugares sagrados em jerusalém e fazerem suas peregrinações a vontade pelos lugares sagrados.

Da mesma forma que existem igrejas cristãs em Israel , existem sinagogas em Roma também livres para culturem sua relgiião judaica, sem preseguição ou algo do tipo.

E para finalizar, se essas profecias estiverem corretas, se forem verídicas, um dia estas duas cidades sagradas que representam duas alianças bíblicas, judeus e gentios, ainda vão se encontrar mais uma vez na linha do tempo e lutarem juntas numa ultima cruzada.

E aqueles que ironicamente abominam as duas, chamando a primeira de pecadora por ter rejeitado o messias, e a segunda de prostituta, um dia terão o que almejam tanto, a queda do Vaticano. Mas, fica uma pergunta no ar: Se isso acontecer sabe quem vai dominar tudo isso aqui? Fica uma dica: A Europa fechou várias e várias igrejas por falta de fiéis! Pense nisso!

Paz á todos! Ronaldo

Um comentário:

  1. vc fala de mentiras mas também mente pois o texto que vc usa da bíblia para testificar que Roma é a segunda jerusalem nunca disse isto quê vc da a entender Paulo é bem claro em dizer que a duas jerusalem uma da terra e outra que é do céu e não outra aqui na terra pervertendo o texto assim vc destrói as escrituras e cria base para sua tese ridícula af

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...