sexta-feira, 6 de maio de 2011

As sete leis de Noé

As sete leis de Noé são as únicas que são realmente obrigatórias aos gentios. As outras leis da Torá são ascessiveis e podem ser seguidas por qualquer um que agrada muito ao Eterno, mas não são obrigatórias aos gentios, só aos judeus pois faz parte da aliança que o Eterno fez com seu povo.
Noé

"E por meio deles escreveram o seguinte: Os apóstolos, os anciãos e os irmãos,aos irmãos dentre os gentios em Antioquia, na Siria e na Cilícia, Shalom. Portanto ouvimos que alguns dentre nós, aos quais nada mandamos, vos tem pertubado com palavras, confundindo as suas almas, dizendo que vós deveis primeiro serem circuncidados para então observar a Torá, o que não mandamos dizer. Por isso, todos nós reunidos, escolhemos alguns homens e os enviamos com os nossos amados Barnabé e Paulo, homens que tem se comprometido em prol de nosso senhor Yeshua HaMashiach. Enviamos portanto Judas e Silas, os quais também por palavra vos anunciarão as mesmas coisas. Porque pareceu bem á Ruach HaKodesh (espirito santo) e a nós não vos impôr maior encargo além destas coisas necessárias: Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne estrangulada, e da imoralidade sexual; e destas coisas fareis bem de vos guardar. Sede firmes no senhor" (versão peshita) Atos 15,23-29

Toda pessoa tem em seu interior a vontade de praticar o que é correto, um anseio pelo divino, essa busca leva muitos a depender das religiões espalhadas pelo mundo, mas o que a imensa maioria não sabe é que o Criador fez um antigo pacto com a humanidade, um pacto que deveria ser passado de pai para filho por toda a eternidade, mas acabou praticamente perdido nas névoas do tempo, e foi preservado durante séculos pela academia de Shem e atualmente tornou-se mais evidente graças as facilidades tecnológicas e a liberdade religiosa. Você está convidado a estudar conosco e a conhecer mais sobre as shvah mitzvot bnei noach, o mais antigo pacto entre o Criador e a humanidade, sejam todos bem vindos à Tenda dos Descendentes de Noach.

O PACTO

Todos os seres humanos sao descendentes de Noach e portanto somos participantes do pacto eterno que o Criador fez com nosso pai, é dever de todo ser humano seguir em ensinar as leis desse pacto a seus filhos e pessoas próximas, pois somente através do cumprimento dessas simples, mas importantes regras teremos um mundo perfeito onde possamos estar seguros em deixar nossos descendentes.

Esse contrato garante benefícios a todos os seres humanos, pois o seu cumprimento garante nada menos que um mundo perfeito, as shvah mitzvot bnei Noach (sete leis dos filhos de Noach) são o caminho para uma vida plena e realizada, um caminho que não promete uma falsa salvação, pois não temos que ser salvos de nada e nem de ninguém, além de nossa própria ignorância.
Mas sim um caminho de realizações palpáveis, uma satisfação de saber estar fazendo a vontade do Criador e ao mesmo tempo ter uma vida feliz, desfrutando de tudo o que é bom nessa vida, pois tudo de bom foi feito para nós.

As sete leis dadas a Noach e transmitidas por gerações são:

1-) Saber que existe apenas um só Criador
2-) Não blasfemar o Nome do Criador
3-) Proteger a vida humana
4-) Honrar os laços matrimoniais
5-) Respeitar todo tipo de propriedade
6-) Proteger os animais
7-) Estabelecer tribunais e promover a justiça

Essas leis são a sintese de todo o sistema legal do pacto e Noach e todas elas serão estudadas mais profundamente Conheça tudo o que o Criador quer de você, nada além de ser uma pessoa honesta, justa e sem dúvida, feliz.

SABER QUE EXISTE APENAS UM CRIADOR

Podemos notar que a primeira lei consiste em saber que há um criador, saber é diferente de crer ou ter fé, pois a fé é algo emotivo, não racional e crer depende em depositar crédito em algo que você ouviu de outro, já o mandamento é saber que há um só criador, e essa sabedoria só vem com o devido estudo, essa lei também proibe todo o tipo de idolatria, muitas religiões ocidentais que dizem crer em um só deus definem como idolatria o culto a uma imagem ou falsa divindade, embora esse conceito não seja errado a prática de avodah zarah não se resume apenas nisso, acreditar que existe qualquer outra força no universo além do Criador já caracteriza idolatria, crer no poder de ''anjos'', demônios, intermediários, santos, astros e até mesmo adorar o Eterno Um de um modo que ele não quer já é uma quebra da primeira lei.O homem, a mais fraca das criaturas, está rodeado por forças de vida e morte muito mais poderosas que ele próprio. Confrontado com a vastidão destas forças universais, o homem poderia tentar "serví-las" para proteger a si mesmo, e melhorar sua propriedade. A essência da vida, entretanto,é reconhecer o Ser Supremo que criou o Universo - acreditar n'Ele e aceitar Suas leis com reverência e amor.
Devemos lembrar que Ele está consciente de nossos atos, premiando a bondade e castigando a maldade. Dependemos d'Ele, e apenas a Ele devemos lealdade. Imaginar que poderia haver outro poder capaz de nos proteger e suprir todas nossas necessidades, é não apenas tolice, mas contradiz o propósito da vida, e, como a história tem mostrado, potencialmente desencadeia forças indizíveis do mal em nós mesmos, e no mundo.

NÃO BLASFEMAR CONTRA O CRIADOR

Quando nos sentimos desapontados com a vida, quando as coisas não acontecem da maneira que deveriam, é muito fácil apontar um dedo acusador e culpar tudo e todos, até mesmo o Criador. Lealdade e confiança são fundamentais na vida.
Culpar o Eterno, praguejar, ou amaldiçoar outros em Seu nome, é um ato de deslealdade - derruba a base de toda ordem e estabilidade na qual uma sociedade justa deve se apoiar.
Em oposto a essas atitudes devemos sempre em nossa mente e com nossas ações e semblante agradecer sempre ao Criador, podemos não notar, mas cada respiro, cada alimento, cada dia de trabalho, os sorrisos, as alegrias devem ser agradecidos.
Devemos sempre manter em mente que muito mais do que nos dar a vida, o Eterno nos mantém vivos.
É sempre bom ter em mente que quando quebramos a primeira lei, quase sempre também quebramos a segunda, pois o ato de blasfêmia também consiste em tomar o nome do Eterno em ocasiões ou cultos vãos e também praticar feitiçarias, artes de adivinhação, necromancias e também amaldiçoar outras pessoas, pois somos a imagem criativa do Eterno, e amaldiçoar qualquer uma de suas criações é o mesmo que fazer isso ao Criador.

PROTEGER A VIDA HUMANA

Todo ser humano é um mundo inteiro. Salvar uma vida é salvar o mundo inteiro; destruir uma vida é destruir um mundo inteiro. Ajudar outros a viver é uma ramificação deste princípio.
O registro da desumanidade do homem com seu semelhante começa com a história de Qain e Hevel. O homem é de fato o guardião de seu irmão.

A proibição contra o assassinato protege o homem de agir contra seu semelhante.O homem deve lutar dentro de si mesmo a fim de dominar seus instintos e transformar o mau em bem.
O homem, o atacante, renega a santidade da vida humana, e por fim ataca o Criador, que nos criou à Sua imagem e semelhança.
Relacionado a este mandamento ainda está proibição de suícidio e aborto, e também não menos importante a proibição de difamar alguém, pois uma pessoa pode matar outra apenas uma vêz, mas quem tem seu nome difamado morre muitas vezes numa mesma vida.

HONRAR O MATRIMÔNIO

O matrimônio é um ato sagrado, as escrituras declaram: "Não é bom para o homem estar sozinho," então o Eterno criou uma companheira para Adam, e em matrimônio, "Ele os abençoou." Numa família completa, a criatividade do homem encontra significativa expressão. Famílias são a pedra fundamental de comunidades, nações e sociedades sadias, adultério, homossexualidade, sodomia, incesto - jamais tiveram uma longa duração. Imoralidade sexual é o sinal de decadência interior que gera uma sociedade desumana, trazendo o caos ao plano de vida traçado pelo Criador.
O casamento de um homem e uma mulher é um reflexo da unicidade do Criador e de sua criação. A deslealdade no casamento é um ataque àquela unicidade.
Em extensão a essa mitzvah ainda recaem as proibições de cometer atos sexuais bestiais e a castração de animais.

SER HONESTO

Seja honesto em todos os seus negócios. Ao seguir as leis do Criador em vez de em nosso próprio julgamento, expressamos nossa confiança Nele como Provedor da Vida.
Devemos procurar ganhar nosso sustento com dignidade, e não através de meios falsos e ilícitos. Violar a propriedade alheia constitui um ataque fundamental à dignidade de nossos semelhantes. Gera a anarquia, lançando o homem às profundezas do egoísmo e da crueldade.
Como ainda cabe nessa lei, não devemos corromper nem ser corrompidos, subornados ou favorecer outros por influencia pessoal (nepotismo), ainda recai o hediondo ato de sequestrar pessoas, animais ou mesmo não devolver objetos achados em local público, mesmo que não se conheça o dono.

PROTEGER OS ANIMAIS

O Criador concedeu ao homem "domínio sobre os peixes do mar, as aves dos céus, sobre o gado, e sobre tudo o que há na terra". Somos os guardiões de sua criação. Nossa responsabilidade, portanto, excede a de cuidarmos de nossa família, da sociedade, para englobar também toda a natureza.
Devemos cuidar e preservar o legado Divino e sobretudo não causar dor nos seres vivos.
A princípio, o homem foi proibido de consumir carne. Depois do Grande Dilúvio, ele foi autorizado – mas com uma advertência e sob uma condição: não causar sofrimento desnecessário a qualquer animal etornar-se sensível a sua dor.

O desperdício de alimento também fere esta lei, pois o animal nasceu e foi criado para um fim e isso é um modo de honrar sua vida, também de modo algum se alimentar de qualquer ser ainda vivo.
Sob essa lei existe a obrigação de fiscalizar a integridade dos animais, denunciando maus tratos, animais em cativeiro em condições degradantes e passarinhos em gaiolas.

PROMOVER A JUSTIÇA

Estabeleça tribunais para a manutenção da justiça.
A justiça é um assunto pertence ao Criador, mas recebemos o encargo de compilar as leis necessárias que sustentam uma sociedade e fazê-las valer sempre que pudermos. Quando corrigimos os erros da sociedade, estamos agindo como parceiros no ato de tornar a Criação sustentável.
Um sistema legal robusto e saudável, que administre igualmente a justiça, cria uma sociedade merecedora das bênçãos dos céus. Estabelecer um sistema de juizes, cortes e oficiais para manter e cumprir a lei é uma grande responsabilidade.
Este preceito traduz os ideais de nossa vida pessoal e para a sociedade como um todo. É a extensão e garantia de todas as leis precedentes.
Devemos fazer nossa parte ao denunciar atos ilegais aos sistemas de justiças estabelecidos, também temos que testemunhar de modo verdadeiro, não fazer falsos juramentos e tomar posição sempre ao lado da razão.
É saudável termos em mente que atos de justiça são feitos em nosso cotidiano, respeitando também as leis civis, inclusive as de trânsito, existe ainda a obrigação de fiscalizar os governos e autoridades para garantir justiça à toda sociedade.

Estas sete leis são universais e uteis para o bem do homem. São as unicas que são realmente obrigatórias aos gentios. Mesmo quando alguém quer se converter ao judaismo, primeiro ele deve seguir estas sete leis.
Shalom!

7 comentários:

  1. RONALDO,gostaria de saber quais as passagem que mostra as sete leis de noé? shalom pra vc,e um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Isso na verdade não esta na bíblia, mas os rabinos entenderam que a aliança de Noé foi feita com todos os homens e a aliança de Abraão com todas as leis só com Israel. Mas vemos algo referente a isso em Atos 15, que muitos comentaristas acreditam serem estas chamadas leis noéticas que os apostolos acharam por bem, não impôr nada além disso aos gentios.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Querido, vejo que muitos não lêem e não analizam bem as Escrituras. Não vou saber de cabeça agora as VÁRIAS passagens que falam que todos que amam ao Senhor deveriam seguir Seus Mandamentos. Mas procure ler Isaías 56:1-7 e Mateus 5:17-20. Tem muita gente por aí que prega que Deus errou. Sim, se ele estabeleceu os mandamentos dizendo que eram perpétuos e que depois de Jesus não precisa de mais nada disso, é porque tem alguma coisa errada então. A Graça veio para a salvação e não para revogar o que o Eterno nosso Deus nos orientou. Que a Paz esteja convosco.

    ResponderExcluir
  4. Até agora não achei nada que prove as ditas sete leis!
    No meu ponto de vista elas foram criadas no tempo da inquisição, para afastar gentio que queriam se infiltrar no meio do povo e depois entrega-los a inquisição!

    Mas se tiver documentos que provem a existência delas assim como você escreveu gostaria de ler!Atos 15 tem varias interpretações, inclusive que ele s deveria começar com "leite" e depois ganhar "alimentos" sólidos assim como Shaul escreveu, Porque Moisés, desde os tempos antigos, tem em cada cidade quem o pregue, e cada sábado é lido nas sinagogas.
    Atos 15:21

    Assim sendo eles aprenderiam as leis da torah nas sinagogas com o passar do tempo...e não tudo de uma só vez como era pretendido!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Entendo, pelo que lí nas escrituras, que existem mandamentos, estatutos e ordenanças.
    Os primeiros levam a crer que estão vinculados ao decálogo. E em várias passagens do novo testamento os gentios são exortados a guardá-los. A verdadeira igreja é revelada em apocalipse 12:17 (os que guardam os mandamentos e dão testemunho de Yeshua).

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...